Santos FC
Santos FC

Gabriel desconversa sobre ofertas, mas fala que desejo é seguir no Santos

Na sexta-feira, o técnico Cuca havia dito que o atacante estava na mira de times europeus

Estadão Conteúdo

13 Agosto 2018 | 17h58

O atacante Gabriel concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira e não quis entrar em detalhes sobre as propostas que recebeu de clubes do exterior. Na última sexta-feira, o técnico Cuca revelou que o centroavante tinha sido sondado por times europeus, mas optou por seguir no Santos.

O jogador disse que seu desejo de fato é seguir no clube alvinegro, mas ao mesmo tempo também afirmou que não pode garantir isso. "Deixo essas questões com os meus pais e meus empresários. Tive uma conversa com o Cuca e acabamos falando de vários assuntos, e disso também. Todos sabem meu carinho pelo Santos e pelos meus companheiros. Estou com eles e podem contar comigo para tudo. Estou bem no Santos. Não tem como falar se continuarei ou não. Mas estou feliz, quero muito ficar e ajudar o Santos", afirmou.

A preocupação de Gabriel no momento está em ajudar a pôr fim na péssima fase do Santos na temporada. A equipe ainda não venceu após a pausa da Copa do Mundo, está na zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro e na quarta-feira precisará vencer o Cruzeiro no Mineirão para avançar na Copa do Brasil.

"No futebol não tem algo impossível. Ainda mais com o time que nos temos. A virada pode acontecer. A gente acredita muito nisso. Temos muita fé de conseguir um jogo muito bom", afirmou o centroavante. "Temos que saber jogar o jogo. Saber que se levar um gol ficará ainda mais complicado", emendou.

O Santos perdeu o jogo de ida por 1 a 0 na Vila Belmiro e agora precisa da vitória por dois gols de diferença em Belo Horizonte para avançar às semifinais do torneio. O problema é que o time alvinegro não consegue vencer há dez jogos. O último triunfo foi em 13 de junho, há exatos dois meses, quando bateu o Fluminense por 1 a 0 no Maracanã, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro

"Difícil achar alguma coisa para responder sobre isso (a má fase). Temos conversado bastante e tentamos entender o máximo um ao outro. Acho que falta um pouco mais de calma, o último passe sair certo. Acertar esses detalhes para que a gente possa voltar a vencer", afirmou o atacante.

No domingo, o Santos perdeu por 3 a 1 para o Atlético-MG, no estádio Independência. Na opinião de Gabriel, a equipe fez um bom primeiro tempo, apesar de ter saído atrás do marcador. "Conseguimos reagir, empatar e ter a posse de bola... No segundo tempo, eles aproveitaram erros nossos e acabaram fazendo dois gols. Faltou um pouco de atenção da nossa parte, um pouco mais de calma para ler o jogo", disse.

Após a derrota, o time alvinegro permaneceu em Belo Horizonte já de olho no duelo contra o Cruzeiro. Gabriel considera que todos os jogadores têm a mesma responsabilidade pelos maus resultados. Mas também afirmou que se sente na obrigação de falar quando a situação não está boa. "Alguns momentos me exponho mais e tento ajudar meus companheiros", disse.

"Mas isso é de cada um, cada um tem seu jeito. O Vanderlei é mais quieto. O Alisson fala bastante em campo, corre nove, dez quilômetros por jogo e dá carrinho por todos nós. Cada um se expõe de uma maneira. Pra mim é o momento de dar a cara a tapa. Não fujo da responsabilidade que é minha. Somos todos grandes amigos e juntos vamos sair dessa situação", prosseguiu.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.