Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Gabriel diz que não esperava voltar tão cedo ao Santos e promete estrear logo

Atacante admite ter cometido erros em alguns momentos da passagem pela Europa

Estadão Conteúdo

29 Janeiro 2018 | 13h22

Menos de dois anos após deixar o Santos, o atacante Gabriel Barbosa, o Gabigol, foi apresentado nesta segunda-feira como principal reforço do clube para a temporada, cedido por empréstimo de um ano pela Inter de Milão. E nas suas primeiras palavras nesse retorno ao time, ele fez declarações de amor ao Santos. "No que depender de mim, usarei esta camisa para sempre", afirmou, em entrevista coletiva na Vila Belmiro.

+ Rodrygo marca no fim e evita derrota do Santos para o Ituano no Pacaembu

+ Rodrygo celebra mais um gol decisivo pelo Santos: 'Fico no banco sonhando'

Negociado pelo Santos com a Inter de Milão em agosto de 2016, Gabriel teve passagem decepcionante pelo futebol europeu, o que permitiu ao clube negociar e acertar o seu retorno. E ele reconheceu nesta segunda que não esperava uma volta tão rápida, mas também celebrou a chance de disputar a Copa Libertadores. "Sinceramente, não, mas espero ajudar o Santos novamente e disputar a Libertadores, que é uma competição que eu nunca joguei", comentou o novo camisa 10 do Santos.

Gabriel pouco atuou pelo Benfica na primeira metade da temporada europeia, clube para o qual a Inter de Milão o havia cedido por empréstimo, e começou a treinar no Santos apenas nos últimos dias. Mas ele garantiu que poderá reestrear em breve pelo time, embora não tenha declarado se terá condições de enfrentar o Palmeiras no próximo domingo, no Allianz Parque, pelo Campeonato Paulista.

Caso a estreia no clássico se concretize, Gabriel vai se reencontrar com Lucas Lima, que recentemente trocou o Santos pelo Palmeiras. "Eu me cuidei bastante. Fiz testes físicos, estou treinando. Estou evoluindo bem. Me sinto bem fisicamente. Acho que está cedo para dizer que estou pronto, mas se o professor precisar de mim, estou à disposição", afirmou.

Gabriel também revelou que espera voltar a jogar em alto nível no Santos para realizar o sonho de defender a seleção brasileira, indicando que ainda acredita na possibilidade de ser convocado para a disputa da Copa do Mundo na Rússia.

"É um objetivo que tracei na minha carreira. Espero ajudar o Santos. A seleção é consequência. Sobre jogar em um rival, tá muito claro que eu sou santista de coração. Sempre vou ficar com essa camisa para sempre", disse.

O reforço santista também fez elogios a Jair Ventura, novo técnico do clube, revelando ter gostado da primeira impressão deixada pelo treinador. "Vim para o Santos porque sou muito santista. O Jair também influenciou bastante. Acompanhei o trabalho dele no Botafogo. Falei com ele e com alguns jogadores, que o elogiaram bastante. Quero aprender muito com ele", comentou.

Além disso, Gabigol admitiu ter cometido erros na sua passagem pela Inter de Milão, como abandonar o banco de reservas ao não ser aproveitado em partida contra a Lazio, em maio de 2017. "Errei no momento em que saí do banco e abandonei o time. Pedi desculpa um dia depois. A maior virtude do homem após errar é pedir desculpas e aprender com isso", disse.

O Santos pagará à Inter de Milão 1,7 milhão de euros (aproximadamente R$ 6,6 milhões) pela negociação. Para voltar ao Brasil, Gabriel teve de aceitar uma redução substancial do salário, que terá seu pagamento dividido entre italianos e brasileiros. Ele foi vendido por 29,5 milhões de euros (R$ 109 milhões em 2016).

Formado nas categorias de base do Santos, Gabriel faturou os títulos de 2015 e 2016 do Campeonato Paulista. Na primeira passagem pela equipe profissional da Vila Belmiro, que durou de 2013, data de sua estreia, até a metade de 2016, ele marcou 57 gols em 157 partidas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.