Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Gabriel Jesus afirma que seleção brasileira não é dependente de Neymar

Para atacante do Manchester City, jogadores têm de chamar a responsabilidade para compensar a ausência no camisa 10

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2020 | 14h51

O atacante Gabriel Jesus afirmou nesta quarta-feira que mesmo sem poder contar com Neymar a seleção brasileira terá condições de apresentar um bom desempenho na partida da próxima sexta-feira, contra a Venezuela, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Na opinião de Jesus, do Manchester City, a equipe do técnico Tite já conseguiu provar que consegue se virar quando está sem o principal astro.

Neymar não estará em campo no Morumbi para se recuperar de lesão na coxa esquerda. A expectativa é pelo retorno dele na terça-feira, em Montevidéu, diante do Uruguai. Enquanto Tite pensa em opções de substitutos, Gabriel Jesus afirmou que a equipe tem opções de sobra para compensar essa ausência, como já fez em outras ocasiões.

"Com o Neymar a gente fica mais perto da vitória, mas a seleção já demonstrou que pode jogar sem ele. Neymar faz gols, dá assistência e joga muito bem. Sabemos a qualidade. Já que ele não pode jogar essa partida por lesão, os outros têm de chamar a responsabilidade. Não pode cair a responsabilidade só em cima dele", disse Jesus em entrevista coletiva. Neymar é um dos artilheiros das Eliminatórias com três gols marcados. "Na seleção brasileira são jogadores que fazem a diferença dentro de campo. Temos quem possa dar conta do recado", completou.

No ano passado a seleção brasileira jogou sem Neymar e conquistou a Copa América. Naquele torneio, Gabriel Jesus atuou como titular e tem chance de receber essa oportunidade novamente na sexta-feira. Para isso, o atacante do Manchester City se coloca à disposição para atuar tanto pela ponta como centralizado.

Gabriel Jesus traz uma vontade extra para esta convocação porque teve de ficar fora na lista anterior. Chamado por Tite para enfrentar Bolívia e Peru, o atacante estava lesionado. "Fiquei bastante ansioso mês passado. Infelizmente, com minha lesão acompanhei os jogos torcendo pela TV. Estou feliz por estar de volta depois de um longo período fora", comentou. A última partida do atacante pela seleção foi em novembro do ano passado, contra a Coreia do Sul.  

A volta ao cotidiano da seleção brasileira faz Gabriel Jesus rever colegas que só costuma encontra justamente quando o elenco está reunido. Como a CBF criou uma espécie de bolha na Granja Comary, em Teresópolis, para evitar o contágio dos atletas pelo novo coronavírus, o atacante afirmou que gostaria de passar mais tempo com os demais jogadores em espaços de convivência como salão de jogos e de videogame, locais que agora estão cercados de restrições.

"O clima de alegria aqui é diferente. Todos sentem falta. A 'resenha' agora não é a mesma. A gente tenta na hora do almoço conversar um pouco mais. Não vejo a hora desse 'temporal' passar e tudo voltar ao normal", afirmou o jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.