EFE/EPA/Oli Scarff
EFE/EPA/Oli Scarff

Gabriel Jesus brilha, City vence de novo e elimina Real na Liga dos Campeões

Equipe de Guardiola soube tirar vantagem das falhas do zagueiro Varane e está classificada para as quartas de final

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

07 de agosto de 2020 | 18h08

O Manchester City soube tirar vantagem das falhas do zagueiro Raphael Varane nesta sexta-feira e venceu mais uma vez o Real Madrid, assegurando sua vaga nas quartas de final da Liga dos Campeões. Jogando em casa, no Etihad Stadium, o time inglês contou com atuação atenta de Gabriel Jesus para repetir a vitória da ida, por 2 a 1, eliminado o recordista de títulos da principal competição de clubes da Europa.

O atacante brasileiro foi o grande destaque da partida ao marcar um gol e dar assistência para outro. Nos dois lances decisivos, ele foi ágil ao aproveitar erros bobos de Varane para levar o City aos gols. Com o triunfo, a equipe de Pep Guardiola encerrou o duelo com o placar agregado de 4 a 2. Já o Real, vestido com uniforme cor de rosa, voltou a se despedir da Liga nas oitavas de final, como fizera na temporada passada, diante do Ajax.

Nas quartas de final, o City terá pela frente o Lyon, algoz da Juventus nesta sexta. O time de Cristiano Ronaldo venceu por 2 a 1, mas foi eliminado por ter sido batido na ida por 1 a 0 e por ter levado gol em casa. Ingleses e franceses vão duelar no dia 15, em Lisboa, sede da reta final da competição.

A partida em Manchester contou com seis brasileiros em campo: Ederson, Fernandinho e Gabriel Jesus, pelo City; e Éder Militão, Casemiro e Rodrygo, pelo Real. Militão teve a missão de substituir o suspenso Sergio Ramos, expulso no jogo de ida. Mas quem se destacou no primeiro tempo foram os dois atacantes.

Gabriel Jesus foi quem brilhou primeiro. Foi logo aos 8 minutos, quando o zagueiro Varane "dormiu" na saída de bola. O brasileiro fez a roubada dentro da área e só entregou nos pés de Sterling, que bateu para as redes, sem marcação, diante da surpresa da defesa espanhola.

Do outro lado, Rodrygo fez a sua parte aos 27 minutos. O atacante acertou preciso passe na cabeça de Benzema, que escorou com firmeza, no canto esquerdo do goleiro Ederson: 1 a 1. No placar geral, o City seguia vencendo por 3 a 2.

Mas o empate refletia bem o movimentado jogo no primeiro tempo. No fim da etapa, cada time teve uma boa chance. Aos 43, Rodrygo caprichou novamente no passe para Benzema, que bateu de voleio e assustou Ederson. A resposta do City veio com Kevin De Bruyne em cobrança de escanteio. Ele mandou direto e só não fez gol olímpico porque Courtois espalmou com dificuldade, aos 45.

O segundo tempo começou no mesmo ritmo, porém com o City mostrando mais fome. Logo no primeiro minuto, Sterling acertou forte chute de canhota e parou em Courtois. Na sequência, De Bruyne e o mesmo Sterling quase marcaram o segundo dos anfitriões.

As redes balançaram novamente aos 22 minutos. E, mais uma vez, com uma grande ajuda do zagueiro Varane. O defensor francês cometeu duas falhas em sequência ao tentar recuar a bola para o goleiro do Real. No primeiro, errou a bola. No segundo, bateu fraco e permitiu a Gabriel Jesus interceptar o lance e desviar para o gol, com Courtois vendido na jogada.

Para reverter o duelo, o Real agora precisava marcar dois gols. Zidane, então, tratou de mudar o setor ofensivo da equipe espanhola. Colocou em campo Lucas Vázquez, Valverde e Jovic. Mas as alterações não afetaram o panorama do jogo. O City seguia dominante, inclusive levando maior perigo no ataque, com David Silva e Bernardo Silva em campo.

Sem dificuldade, o time inglês confirmou o melhor momento e garantiu presença na reta final da Liga dos Campeões, em busca do inédito título europeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.