Ricardo Moraes/Reuters
Ricardo Moraes/Reuters

Gabriel Jesus diz que bom ambiente tem sido decisivo na seleção

Atacante tem três gols em três pela seleção brasileira

Ciro Campos, enviado especial a Natal, O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2016 | 07h00

O atacante Gabriel Jesus tem até agora um currículo impressionante na seleção brasileira. Foram três gols em três partidas, todas válidas pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, com vaga de titular garantida desde o técnico Tite ter assumido o cargo. Para o jogador do Palmeiras, o aspecto principal que contribuiu para esse desempenho foi ter no elenco brasileiro um ambiente positivo e de união.

"Quando o ambiente é bom, você se dá bem fora de campo com todos, aí dentro do campo isso facilita a ficar solto, confiante para fazer as jogadas. O grupo é ótimo", disse Gabriel Jesus na madrugada de quinta, pouco depois da vitória por 5 a 0 sobre a Bolívia, na Arena das Dunas, em Natal.

A convivência positiva inclui uma parceria com Neymar, iniciada ainda na Olimpíada. Os dois têm entrosamento em campo e foi o atacante do Barcelona que deu o passe para o palmeirense fazer o quarto gol na vitória sobre a Bolívia. "O Neymar me ajuda bastante, a gente se dá bem. Aí ficamos confiantes para dentro de campo jogar bem e buscar a vitória", contou o jogador de 19 anos.

Gabriel foi o último a se apresentar na seleção brasileira em Natal, pois na segunda-feira defendeu o Palmeiras em compromisso do Campeonato Brasileiro. A agenda disputada entre as Eliminatórias e o clube já o levaram a jogar partidas por dois dias seguidos e na semana que vem, deve fazer programação parecida. Como o Brasil joga na terça na Venezuela e o time paulista na quinta, em Araraquara, contra o Cruzeiro, novamente o atacante pode ter uma maratona.

Segundo ele, a rotina de tantas partidas não é problema. "Tanto no Palmeiras como na seleção têm profissionais de alto nível, que estudaram e trabalharam muito para me ajudar a chegar até. Lógico que também tenho minha parcela de descanso e alimentação para estar em campo tantas vezes seguidas", afirmou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.