ALEX SILVA |ESTADAO CONTEUDO
ALEX SILVA |ESTADAO CONTEUDO

Gabriel Jesus se torna candidato a craque no time do Palmeiras

Mesmo com sucesso em campo, garoto mantém os pés no chão

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

30 Janeiro 2016 | 16h59

Há um ano, Gabriel Jesus era apenas uma promessa da base do Palmeiras. Hoje, já tem espaço no coração do torcedor e parece cada dia mais uma realidade. Por trás dos dribles fáceis e do atrevimento do atacante de 18 anos existe uma equipe que faz com que ele não se empolgue com os elogios e saiba crescer na medida certa para transformá-lo, em breve, em um astro do futebol brasileiro.

No Palmeiras, é quase unânime que o garoto renderá muito dentro e fora de campo para o clube. Seus empresários querem que ele fique pelo menos até a Olimpíada. Paralelamente, já trabalham com a 9ine (empresa de marketing do ex-atacante Ronaldo) para que eles gerenciem a imagem do garoto.

“Eles cuidam do marketing do Gabriel. A gente já conversa com algumas empresas e estamos tentando acertar com mais algumas marcas”, disse o empresário Cristiano Simões, em entrevista ao Estado. Ele é o dono da maior parte dos direitos econômicos do jogador. Ele tem 32,5%, enquanto Fábio Caran, outro empresário, soma 22,5%, o jogador tem 15% e o Palmeiras é dono de apenas 30%.

Jesus tem patrocínio apenas da Adidas e parece não se preocupar muito com anunciantes, Olimpíada ou mesmo uma transferência para a Europa. “Sempre deixei claro que meu foco é o Palmeiras e é o clube que sempre torci. Não penso em sair ou coisa do gênero. Se for da vontade de Deus de defender o Brasil, darei a vida, mas tem muito chão ainda e só quero pensar em jogar no Palmeiras e ajudar o clube a conquistar títulos”, disse o jogador, em entrevista ao Estado.

Nenhuma virtude de Gabriel Jesus é tão elogiada pelas pessoas que estão em sua volta quanto a humildade. “Ele é um garoto de 18 anos com a cabeça de 30. Ele ouve bastante os mais velhos e tem um objetivo na vida, que é crescer e ser alguém, de fato, no futebol. E ele não se empolga com a fama”, contou Simões.

A ascensão de Gabriel Jesus já desperta interesse de clubes europeus e também de outros empresários, que assediam os atuais agentes do atleta com frequência. “Temos uma relação com o Palmeiras muito boa e já avisamos que tudo será feito em conjunto com eles”, disse o agente que, assim como Caran, gerencia a carreira desde que o garoto começou a jogar.

COBRANÇA EM CASA

Além dos empresários, quem também marca mais do que qualquer zagueiro é sua mãe, Vera. “Ela me dá conselho e até me deu bronca porque eu estava querendo dar muito chapéu e tinha que fazer mais gol. Mudei um pouco em relação a isso e passei a ser mais objetivo”, disse.

Bem-humorado, o garoto consegue driblar com categoria a mãe quando o assunto é namorada. “Eu sou bem tranquilo e não saio pegando qualquer uma. Me valorizo”, disse, dando um sorriso logo em seguida.

Mas sair na rua se tornou uma missão quase impossível. “Sempre que vou em um restaurante ou shopping sou parado e gosto disso. As pessoas demonstram carinho imenso, principalmente criança, que vem abraçar e beijar. Fico feliz por esse reconhecimento e me dá mais vontade de jogar bem”, contou a joia lapidada, que tem contrato com o Palmeiras até dezembro de 2019 e multa de ¤ 30 milhões (R$ 133,8 milhões).

 

Notícias relacionadas
Mais conteúdo sobre:
PalmeirasFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

30 Janeiro 2016 | 16h59

Acredita que a cobrança será maior após o bom 2015 que você teve?

Sim, mas a cobrança é natural para quem joga em um clube da grandeza do Palmeiras. O negócio é manter a cabeça no lugar, como sempre tive, para responder dentro de campo.

Quais são seus planos para a temporada? Pensa em deixar o clube?

É preciso ter sabedoria. Tenho metas que estão na minha cabeça e agora é focar nessa temporada para começar bem e fazer uma boa temporada melhor ainda do que foi no ano passado. A torcida pode esperar muita vontade e raça para vencer sempre.

A chegada do Erik faz você sentir que pode perder a vaga no time?

Precisamos ter um elenco forte. A grandeza do Palmeiras exige que sempre tenha jogadores de alto nível. A disputa está sendo sadia e quem jogar, vai dar o melhor para conquistar as vitórias.

O que pensa quando vê rivais debochando do Palmeiras?

Não tem como tirar sarro do Palmeiras. Provamos que o Palmeiras está sempre vivo e se deixarem a gente chegar, fica difícil de parar. E cada um fala o que quer, mas já provamos do que somos capazes.

Ficar fora da seleção brasileira olímpica seria uma decepção?

Sei que tem outros jogadores na minha frente, mas se tiver chance, vou dar a vida.

Mais conteúdo sobre:
PalmeirasFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.