César Greco/Divulgação
César Greco/Divulgação

Gabriel Jesus marca dois gols em treino de reservas no Palmeiras

Atacante de 17 anos volta a se destacar em atividade do elenco e garante vitória da sua equipe em coletivo na Academia de Futebol

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

12 de fevereiro de 2015 | 20h00

A grande aposta do Palmeiras para os próximos anos deu novas provas nesta quinta-feira de que tem um grande potencial. O garoto Gabriel Jesus, de 17 anos, marcou dois gols no treino coletivo realizado entre os reservas na Academia de Futebol. O time do atacante terminou como o vencedor da partida, que teve o placar de 2 a 1. O zagueiro Victor Ramos diminuiu.

Na atividade comandada pelo auxiliar Alberto Valentim uma equipe foi formada pelos substitutos imediatos dos titulares do Palmeiras e a outra, com jogadores menos utilizados, como Gabriel Jesus. Em campo, porém, o garoto deu bastante trabalho e marcou os dois gols em finalizações precisas e de dentro do área, após jogadas velozes.

O time que saiu derrotado da atividade tinha em campo: Jailson (Aranha); João Pedro, Victor Ramos, Jackson e João Paulo; Amaral, Victor Luis, Arouca e Rafael Marques; Maikon Leite e Leandro Pereira. Já a outra equipe usou como formação: Fábio; Ayrton, Nathan, Wellington e João Denoni; Andrei Girotto, Renato, Julen, Mendieta e Ryder Mattos; Gabriel Jesus.


Gabriel Jesus foi o craque do Palmeiras na campanha de semifinalista da Copa São Paulo de Futebol Júnior neste ano e vive a expectativa de ganhar mais chances no time principal com o técnico Oswaldo de Oliveira. O atacante Cristaldo contou nesta quinta-feira que tem ajudado o colega mais novo a se entrosar com o restante do elenco. "Estamos sempre juntos e tenho tentado fazer o Gabriel a se adaptar e se integrar mais ao time", afirmou.

Cristaldo disse que chama a revelação de "Menino de Ouro" e se identifica com Gabriel por também ter passado pelo desafio de subir jovem ao time principal. "Também tinha só 17 anos quando entre na equipe profissional do Vélez Sarsfield. Eu era muito tímido, no vestiário não falava com ninguém e levei um tempo para me acostumar", lembrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.