Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Gabriel Jesus tem seu plano para crescer e se tornar celebridade

Queridinho do mercado publicitário, garoto contrata empresa para se tornar celebridade no mundo

Almir Leite, enviado especial a Liverpool, O Estado de S.Paulo

02 Junho 2018 | 17h21

O Brasil terá no amistoso deste domingo contra a Croácia, em Liverpool, um capitão com idade de soldado raso: Gabriel Jesus. O garoto de 21 anos, completados recentemente, vai ganhar a patente no penúltimo teste da seleção antes da Copa, jogo que começa às 11h (hora de Brasília) em Anfield Road, em função do rodízio instituído por Tite e pelo seu bom desempenho sempre que defende o time. A braçadeira veio a calhar. É ponto positivo no plano de marketing desenvolvido para tornar Jesus uma das celebridades do futebol mundial.

+ Capitão, Gabriel Jesus minimiza peso da faixa: 'Aceitei normalmente'

+ Tite diz que seleção estrearia sem Neymar se a Copa do Mundo começasse hoje

Gabriel Jesus é, de acordo com pesquisas feitas do mercado publicitário, o jogador brasileiro com melhor imagem para receber investimentos depois de Neymar. Mas o camisa 10 está superexposto por ter quase duas dezenas de parceiros, o que faz do companheiro de ataque uma opção interessante. O jogador do City tem números mais modestos, e não deverá virar “arroz de festa’’ dos comerciais, mas terá atuação cada vez mais intensa em campanhas publicitárias e nas redes sociais.

O projeto da agência de marketing Octagon para tornar Jesus uma estrela em nível mundial teve início em 2017 e foi dividido em fases ou ciclos. O primeiro ciclo termina com a Copa do Mundo e busca consolidar a imagem do atacante no Brasil, na Inglaterra, onde joga no Manchester City, e ainda na Europa.

A partir do fim do Mundial terá início uma “fase de internacionalização” de Jesus. A ideia é torná-lo uma estrela na Ásia, sobretudo China, e nos EUA, onde estão as grandes marcas.

Jesus ajuda. Sua imagem de bom filho, de garoto humilde que não esquece as raízes apesar do sucesso, o torna querido do público, sobretudo o jovem. É carismático e determinado.

+ Confira tabela da Copa do Mundo da Rússia

+ Quiz - Teste seus conhecimentos sobre a história, bola, jogadores, mascotes e tudo sobre os mundiais

Um dos caminhos para explorar esse potencial são as redes sociais, onde já é atuante. “A gente trabalha as principais mídias. Esse planejamento de mídia é crucial”, explica Gabriel Lima, CEO da Octagon, responsável pelo projeto para alavancar mundialmente a carreira do “xará”. Uma das metas é que o ex-palmeirense tenha 10 milhões de seguidores nas redes até dezembro – ultrapassa 5 milhões.

Tudo isso ajuda, mas bons resultados em campo são fundamentais. Ou seja, o “tamanho” do sucesso está ligado ao desempenho do jogador e do Brasil na Rússia. “O marketing pode ser bem planejado, mas depende da performance em campo para atingir o que foi definido como meta”, explica o executivo.

Segundo Lima, a Copa foi um “balizador inicial” para alavancar a imagem de Jesus. “Temos também um planejamento longo que envolve a carreira do jogador e depois disso”, informa.

Na fase que iniciará após a Rússia, o foco serão os novos mercados. “Vai começar um ciclo mais forte no mercado asiático e no americano também. O europeu é o principal mercado, pois ele joga na Inglaterra.”

Cuidados

Como a imagem do atacante “vende fácil”, ligá-la a produtos foi natural. Atualmente, Gabriel Jesus é garoto-propaganda de empresa de produtos esportivos, telefonia (por causa do “Alô, mamãe”), isotônico e de um refrigerante. Vem mais por aí, mas existe o cuidado de evitar a superexposição também. “Temos meta de quantidade de campanhas publicitárias. Não vamos saturar porque ele é jogador e tem de jogar”, diz Lima.

O CEO admite que há empresas interessadas em se associar a Gabriel Jesus, mas não diz quantas nem quais são. Também não revela valores envolvidos, alegando confidencialidade contratual. Todas as campanhas das quais Jesus participa precisa da anuência da agência. Existe o cuidado, e a exigência, de que ele atue de forma espontânea, natural, que demonstre seus valores éticos. “Tentamos deixá-lo solto, ser quem ele é. Essa é a essência”’, diz Lima.

Três perguntas para Gabriel Lima, responsável pelo projeto de marketing de Gabriel Jesus

1. Por que transformar Gabriel Jesus em celebridade mundial?

É uma necessidade, por ele ser um atleta de altíssima performance. Quando começamos a trabalhar com o Jesus, ele tinha acabado de fechar com o Manchester City, estava começando essa carreira internacional e foi identificada a necessidade de a gente ter uma estrutura que pudesse responder às demandas de marketing e comunicação.

2. O que se exige em uma campanha publicitária, por exemplo? O que ele faz e o que ele não faz?

A gente avalia as empresas, que tentam entregar ao Gabriel Jesus coisas bacanas, e que fale linguagem parecida com a dele. A parceria tem de ser longa, de pelo menos um ano, nada de coisas pontuais. Após a Copa, outros contratos de publicidade devem entrar, mas teremos um limite.

3. Nessa época de Copa, talvez mais do que em outras, há muita pirataria em termos de exploração de imagem. Já tiveram problemas?

Tivemos casos de indícios. Aí enviamos (a potenciais exploradores ilegais de imagem) cartas preventivas, elaboradas pelo estafe jurídico do Gabriel Jesus, alertando que não é permitido usar a imagem dele sem nossa autorização.

Croácia servirá para Tite testar o seu ‘plano B’

O amistoso deste domingo contra a Croácia, considerada por Tite uma seleção bem forte, vai servir para o treinador testar mais uma vez uma espécie de “plano B” para a Copa do Mundo. A exemplo do que fez de março no amistoso em que o Brasil venceu a Alemanha por 1 a 0, ele escalou Fernandinho com a missão de ajudar Casemiro na marcação, mas sem perder qualidade na saída rápida de bola ao ataque.

Sem poder contar com Neymar desde o início – a tendência é o atacante jogar alguns minutos no segundo tempo –, Tite optou por repetir o time que venceu os alemães, com exceção de Daniel Alves, com lesão no joelho e fora da Copa. O lateral-direito será substituído por Danilo.

Na zaga, permanece Thiago Silva, que sai na frente na briga pela posição com Marquinhos por sua experiência e também pela atuação quase perfeita que teve contra a Alemanha. Se mantiver o alto nível de atuação, será titular na Copa do Mundo, formando a defesa com Miranda, este absoluto com Tite.

FICHA TÉCNICA

BRASIL X CROÁCIA

Brasil: Alisson; Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Fernandinho, Paulinho, Willian e Philippe Coutinho; Gabriel Jesus. Técnico: Tite.

Croácia: Kalinic; Pivaric, Corluka, Vida e Vrsaljko; Badly, Kalinic, Kovacic, Pjaca e Rebic; Kramaric. Técnico: Zlakto Dalic.

Juiz: Michael Oliver (ING).

Local: Estádio Anfield Road, em Liverpool. 

Horário: 11h.

Na TV: Globo e SporTV.

Ao vivo: estadao.com.br/e/selecaovivo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.