Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Gabriel Jesus volta a brilhar, Palmeiras bate Joinville e entra no G-4

Jovem atacante fez mais dois gols e tira Alviverde do sufoco

PAULO FAVERO, Estadão Conteúdo

30 de agosto de 2015 | 18h33

O veterano Marcelinho Paraíba, de 40 anos, bem que tentou estragar a festa palmeirense com dois gols no primeiro tempo, mas coube ao menino Gabriel Jesus, de apenas 18 anos, ampliar a fama e os gritos da torcida no estádio com dois gols e mais uma atuação de gala na vitória do Palmeiras sobre o Joinville por 3 a 2. No meio de semana, ele já havia feito estragos contra o Cruzeiro, fora de casa, pela Copa do Brasil. Desta vez, o show foi na frente dos fãs, em São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro.

Logo aos 52 segundos de partida, ele recebeu um longo lançamento do zagueiro Victor Ramos, ajeitou a bola e mandou no canto, abrindo o marcador. O estádio veio abaixo com o primeiro gol do camisa 33 no Allianz Parque. Pouco depois, deu dribles desconcertantes, chapéu no adversário e foi vigiado de perto. Aos 7, poderia ter feito mais um em belo passe de Dudu se não fosse o pé salvador de Mário Sérgio, que afastou o perigo.

O segundo gol do Palmeiras veio com Dudu, que aproveitou o rebote do goleiro Agenor em chute de Zé Roberto e ampliou. Só que a boa vantagem no marcador escondia a fragilidade do time na marcação, principalmente pelas laterais. Aos poucos, o Joinville foi ganhando espaço e passou a pressionar.

Aos 26, Marcelinho Paraíba recebeu em profundidade e tocou na saída de Fernando Prass, diminuindo o marcador. O Palmeiras nem teve tempo de assimilar o golpe e já sofreu o empate na sequência, novamente com o veterano. Na jogada, João Pedro tentou afastar, a bola bateu em Zé Roberto e sobrou para Marcelinho marcar. Barrios respondeu com uma bola na trave, mas o alviverde caiu de rendimento.

Além de exposto pelas laterais, o Palmeiras também não acertava a marcação no meio. O volante Amaral ficava sobrecarregado e sozinho não dava conta do recado. Zé Roberto tentava ajudar como podia e Robinho é um jogador para atuar mais avançado. Com isso, o time sofria e foi para o intervalo com a igualdade no marcador.

Para o Joinville, o resultado estava satisfatório e o time voltou para o segundo tempo sem arriscar. O Palmeiras também começou devagar, mas aí o técnico Marcelo Oliveira mexeu na equipe, tirando Egídio e colocando mais um atacante, Rafael Marques. Com isso, Zé Roberto foi para a lateral esquerda.

Aí o oportunismo de Gabriel Jesus falou mais alto. Aos 22, em uma boa jogada do ataque, Dudu recebeu a bola pela direita, cruzou e o garoto apareceu sozinho para marcar seu segundo gol na partida. Já são cinco gols com a camisa do Palmeiras em 17 partidas, sendo que ele também foi o herói contra o Cruzeiro no meio de semana. Claro que ainda é cedo para dizer onde Gabriel Jesus vai chegar, mas no momento ele é a melhor novidade do Campeonato Brasileiro, que tem o Palmeiras de volta ao G4 - o time está em quarto lugar, com 34 pontos. Já o Joinville é o penúltimo colocado, com 19 pontos.

PALMEIRAS 3 x 2 JOINVILLE

PALMEIRAS - Fernando Prass; João Pedro, Victor Ramos, Vitor Hugo e Egídio (Rafael Marques); Amaral, Robinho e Zé Roberto; Dudu, Gabriel Jesus (Thiago Santos) e Barrios (Alecsandro). Técnico: Marcelo Oliveira

JOINVILLE - Agenor; Mario Sérgio, Bruno Aguiar, Guti e Diego; Anselmo (Fabrício), Naldo e Kadu (Kempes); William Popp (Silvinho), Marcelinho Paraíba e Edigar Junio, Técnico: Paulo César Gusmão

GOLS - Gabriel Jesus, aos 52 segundos, Dudu, aos 23 minutos e Marcelinho Paraíba, aos 26 e aos 27 minutos do primeiro tempo; Gabriel Jesus, aos 22 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Bruno Arleu de Araujo (RJ)

RENDA - R$ 1.963.993,75

PÚBLICO - 28.907 pagantes

CARTÕES AMARELOS - Naldo, Mario Sérgio e Fabrício (Joinville)

LOCAL - Allianz Parque, em São Paulo (SP)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.