Massimo Pinca / Reuters
Massimo Pinca / Reuters

Gabriel Paulista: 'Não quero perder um amigo ou familiar por pressão do dinheiro'

Zagueiro do Valencia demonstra preocupação com a possibilidade do futebol retornar de forma precoce na Espanha, um dos países mais atingidos pela doença

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2020 | 09h56

O zagueiro Gabriel Paulista, do Valencia, afirmou ser contrário ao retorno das atividades do futebol durante a pandemia do coronavírus. O jogador vai contra dirigentes de algumas ligas europeias, que já autorizaram o retorno aos treinamentos. Ele teme pela retomada do futebol na Espanha, um dos países mais atingidos pela doença.

"Os profissionais do futebol são pessoas privilegiadas, mas somos pessoas em primeiro lugar. Temos família, entes queridos e sentimentos", manifestou o jogador em suas redes sociais. "Sempre nos pedem para ser um exemplo e assim deve ser. Muitas crianças e jovens olham para nós. Vamos mostrar como exemplo à sociedade que valorizamos a vida e a saúde acima de tudo. Para mim, e tenho certeza que para a grande maioria dos jogadores de futebol, dinheiro não é tudo."

Atuando na Espanha desde 2017, o brasileiro expressou seu medo de contrair a doença se o retorno de La Liga Espanhola não ocorrer com as mais altas garantias de saúde, sem risco de contágio. "Vamos jogar quando ninguém mais tiver medo disso e tivermos plenas garantias de que não há riscos. Caso contrário, se não nos derem garantias absolutas, vamos tomar exemplos de outros países que adotaram medidas mais fortes. Antes a vida e depois o futebol!", disse o defensor, de 29 anos.

Gabriel Paulista contou seus temores sobre a possibilidade de um contágio. "Não quero que nenhum membro da família, amigo, colega de trabalho ou de profissão esteja doente ou morto por precipitar um retorno ou ter pressão econômica para volytar." O Valencia foi o time espanhol mais atingido pelo coronavírus, com 35% das pessoas infectadas do elenco principal. O clube de Mestalla relatou esse número em meados de março e jogadores como Garay, Gaya e Mangala admitiram nas redes sociais que tinham testado positivo para a covid-19. Todos os casos foram assintomáticos.

"Eu amo o futebol, amo jogar, amo meu clube e queremos dar felicidade aos torcedores, mas também tenho amor e respeito à vida de cada ser humano", disse Gabriel Paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.