Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Gabriel reclama de pênalti e vê Santos prejudicado em empate com o Grêmio

Atacante considerou falta do zagueiro gremista Geromel no atacante Rodrygo na parte final do jogo

Estadão Conteúdo

06 Setembro 2018 | 21h14

O Santos recebeu o Grêmio nesta quinta-feira e não passou de um empate sem graça por 0 a 0, no Pacaembu, pela 23.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Se o jogo teve poucas oportunidades de gol, o time da casa poderia ter a chance de sair com a vitória já na reta final do segundo tempo, quando Rodrygo caiu na área em disputa com Pedro Geromel e reclamou bastante de pênalti.

Para Gabriel, o lance foi claro de penalidade, e o erro do árbitro Wilton Pereira Sampaio eliminou as chances de vitória da equipe ao não marcá-la. "Foi pênalti. Foi muito claro, falei para ele (árbitro) dentro do campo. É muito rápido, mas já viram na tevê, falaram para a gente. Fomos prejudicados, porque com o pênalti tínhamos a chance de fazer o gol, ganhar de 1 a 0. Mudaria tudo e seria muito bom para a gente", declarou em entrevista ao SporTV na saída do campo.

Gabriel também foi protagonista de um outro lance que chamou a atenção na etapa final. Ao tentar dominar uma bola na lateral do campo, foi tocado pelo treinador gremista, Renato Gaúcho, que estava fora da área técnica, e reclamou bastante de que teria sido atrapalhado com a bola ainda em jogo.

Os dois chegaram a bater boca, mas, passado o nervosismo dos 90 minutos, Gabriel minimizou a situação e revelou um "pedido" de Renato para ele. "Foi um lance ali em que ele acabou me atrapalhando com a bola ainda dentro de campo. Mas conversamos, ele me deu parabéns pelo trabalho e falou para eu ir para o time dele", contou.

Se os santistas saíram chateados com o pênalti não marcado - o técnico Cuca chegou a reclamar com o árbitro após o apito final -, o lateral Victor Ferraz considerou que, mesmo assim, o resultado foi justo e elogiou as defesas de ambas as equipes, que voltaram a deixar o campo sem serem vazadas.

"Acho que foi justo. O 0 a 0 não foi por falta de tentativas das duas equipes, mas são dois times que têm defesas consistentes. Estamos há seis jogos sem tomar gols, e o Grêmio também tem essa característica. E os dois times têm grandes goleiros, que salvaram quando foi necessário", considerou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.