Gilvan de Souza/ Flamengo
Gilvan de Souza/ Flamengo

Gabriel vê Flamengo 'muito à frente', mas diz: 'Dinheiro não entra em campo'

Artilheiro do Brasileiro nega que poderio econômico seja o único motivo para o sucesso do clube na temporada

Guilherme Amaro, O Estado de S. Paulo

09 de dezembro de 2019 | 13h20

O atacante Gabriel não vê o investimento do Flamengo como o principal fator para o clube ter sido campeão carioca, brasileiro e da Copa Libertadores nesta temporada. O jogador disse nesta segunda-feira, em evento de premiação em São Paulo, que o time rubro-negro mostrou que está "muito à frente" dos adversários.

"Obviamente tem o investimento, mas também tem alguns clubes com investimento não quanto o nosso, mas bom. Creio que o dinheiro não entra em campo. Para buscar o Flamengo, tem que treinar bastante, se dedicar, fazer um trabalho diferente do que fizeram esse ano, porque o Flamengo mostrou que está muito à frente. Não só em investimento, mas também em campo, que é o que interessa", afirmou Gabriel, após ser premiado no Bola de Prata.

Artilheiro do Brasileirão com 25 gols, o atacante vive o seu melhor ano na carreira. Ele chegou ao Flamengo no início desta temporada por empréstimo da Inter de Milão. Gabriel deve retornar ao futebol europeu depois da disputa do Mundial de Clubes da Fifa. O Flamengo já realizou uma proposta para o jogador e disse estar acertado com o clube italiano, mas o atacante tem o desejo de voltar a atuar no Velho Continente.

"Acho que em termos de número, sim (é o melhor ano da carreira), e também de títulos, que era o que eu buscava. Foi por isso que fui para o Flamengo, para ser campeão. Obviamente que títulos individuais enriquecem isso, mas meu objetivo era ser campeão. Fico muito feliz por ter sido campeão do Carioca, do Brasileiro, da Libertadores e quem sabe tem o Mundial também", comemorou.

Gabriel ainda negou a pressão de ser o principal responsável para o Flamengo marcar no Mundial de Clubes. Ele também foi o artilheiro da Libertadores com nove gols, sendo dois marcados na decisão contra o River Plate, da Argentina.

Ao ser questionado sobre a frase do goleiro Alisson, que afirmou que trabalharia para "não ter gol do Gabigol" no Mundial de Clubes, o atacante rubro-negro disse não pensar no Liverpool, da Inglaterra. O Flamengo disputará a semifinal do torneio contra o vencedor da partida entre Al Hilal, da Arábia Saudita, e Espérance, da Tunísia.

"Não tem pressão de fazer gols, minha pressão é de jogar bem, me sentir bem em campo e ajudar meus companheiros. Sou centroavante, mas o Bruno Henrique fez muitos gols, o Arrascaeta também. Nosso time tem um conjunto muito forte e não vai ser eu que vai ter pressão em fazer gol. Nossa pressão é para jogar bem e conquistar títulos. Temos a semifinal, tenho muito respeito aos jogos que vêm antes, então nosso foco é a semifinal", afirmou Gabriel.

Além do prêmio Bola de Prata, o atacante também está na seleção do campeonato que será divulgada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) na noite desta segunda-feira, em evento no Rio de Janeiro. O elenco do Flamengo viaja na sexta para o Catar e estreia no Mundial no próximo dia 17. A final está marcada para o dia 21.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.