Galeano ganha espaço no futebol baiano

O gol de bicicleta do volante Galeano no clássico entre Bahia e Vitória, domingo, pode ser encarado como o símbolo de recuperação do veterano jogador e das outras duas estrelas que preferiram atuar na Bahia em vez de trabalhar em clubes do Sul do Brasil ou do exterior, os campeões mundiais Edilson e Vampeta.Os três - Galeano, no Bahia, e Edilson e Vampeta, no Vitória -, depois de mais de dois meses em Salvador, estão em plena forma física, são líderes em suas equipes e vêm jogando um futebol de bom nível técnico. ?Nunca fiz um gol como esse, é inesquecível?, comemorou Galeano depois do clássico, esperando que o domingo seja um dos "ótimos?? momentos que espera passar no Bahia. O time disputará a Série B do Campeonato Brasileiro e o volante aceitou o desafio de comandar, em campo, a recuperação da equipe e levá-la de volta à Primeira Divisão.Galeano deixou o futebol turco no início do ano e já é candidato a ídolo no Bahia, principalmente se conseguir ajudar a equipe a conquistar o título estadual. O volante havia passado antes pelo Botafogo-RJ, depois de sua saída do Palmeiras, clube em que jogou a maior parte de sua carreira e no qual ficou famoso pelo seu futebol de força e pouca técnica.Bahia e Vitória jogam a partida decisiva do campeonato estadual amanhã, desta vez no Barradão, estádio do Vitória, a partir das 17 horas. No primeiro confronto houve empate por 1 a 1.Ser campeão baiano é uma das metas de Edilson, que também planeja levantar o título da Copa do Brasil pelo Vitória. São duas taças que faltam no extenso currículo do jogador. A oportunidade de atuar num time da sua cidade natal, onde tem amigos, familiares e negócios (é dono do bloco carnavalesco Bróder e de uma casa de espetáculos) foi fundamental para ele optar pelo Vitória, mesmo tendo propostas de outros clubes que, diz, não param de sondá-lo.Edilson teve uma saída conturbada do Flamengo, assim como Vampeta do Corinthians. Os dois, aliás, sempre que se desentendiam com as direções dos clubes em que atuavam viajavam para o "ninho baiano??, enquanto os problemas não se resolviam. Jogar num clube de Salvador resolveu esse problema, pois a dupla não precisa mais "se exilar?? na Bahia.Vampeta e Edilson deram mais qualidade ao rubro-negro baiano, que perdeu apenas uma partida no Campeonato Baiano e depende apenas de um empate domingo para se sagrar campeão.A equipe espera superar, também, o Internacional, pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil, e disputar o título, que dá uma vaga à Libertadores. Otimista, Vampeta já avisou aos adversários que agora "é pau puro?? para quem enfrentar o Vitória.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.