Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Galiotte minimiza polêmica sobre convocação da seleção: 'Chamar palmeirense é gratificante'

Presidente do Palmeiras ressalta presença de Weverton na lista de Tite e defende mudança do calendário

Redação, O Estado de S. Paulo

24 de setembro de 2019 | 18h10

O presidente do Palmeiras, Mauricio Galiotte, disse nesta terça-feira à TV Gazeta não considerar como um grande problema o clube ter de ceder jogadores para a seleção brasileira durante a próxima data Fifa, em outubro. Depois da convocação do técnico Tite despertar polêmica por causar desfalques em alguns times durante duas rodadas do Campeonato Brasileiro, o dirigente alviverde considerou um reconhecimento ter atleta da equipe presente na lista.

Do Palmeiras, o goleiro Weverton foi convocado para a seleção brasileira para os amistosos em Cingapura contra Senegal e Nigéria. A equipe alviverde também vai ceder Gómez para a seleção paraguaia. Para Galiotte, o problema não são os chamados das seleções, mas sim o Campeonato Brasileiro não ter as rodadas interrompidas durante as datas da Fifa reservadas para amistosos internacionais.

"Ceder jogador em data Fifa, para o campeonato, não é legal, porque os times perdem grandes atletas. Mas, por outro lado, ter um jogador do Palmeiras na seleção brasileira é gratificante para o clube, para o jogador e importante para a carreira dele", afirmou Galiotte. Os jogadores do Palmeiras que foram convocados ficarão fora de compromissos contra Santos e Botafogo.

A análise do presidente do clube se contrapõe a algumas críticas mais contundentes. No Flamengo, o técnico português Jorge Jesus demonstrou irritação com o chamado de Tite pelo zagueiro Rodrigo Caio e o atacante Gabriel. "Vamos perder convocados pelo Brasil e o Arrascaeta (Uruguai). Em momento muito complicado, decisivo para o campeonato. Não entendo bem porque a seleção disse que era convocado um jogador por equipe", disse o treinador.

Galiotte avalia que seria necessário repensar o calendário. "O que devemos pensar é que, em data Fifa, o campeonato talvez não devesse ter jogos. Mas isso é uma questão de a gente discutir com as pessoas que organizam o torneio", disse. Na mesma entrevista o presidente do Palmeiras elogiou o trabalho do técnico Mano Menezes. "O trabalho agora está sendo reformulado, reorganizado. O Mano inicia um novo trabalho e nossa expectativa é muito positiva", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.