Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Galiotte pede que TJD não interfira na final com eventual punição a Jailson

Palmeiras e Corinthians jogam neste sábado pela ida da decisão do Estadual e na quarta fazem a volta no Allianz

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2018 | 17h18

O presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, disse nesta quinta que confia na Justiça e que espera que o TJD-SP não interfira na final do Campeonato Paulista entre o time alviverde e o Corinthians.

Dudu diz que Andrés tenta tirar responsabilidade do Corinthians em final

O Palmeiras corre o risco de não ter o goleiro Jailson no jogo de volta da decisão, no domingo da semana que vem, no Allianz Parque. O TJD-SP julga nesta terça o recurso do jogador em relação à suspensão de três partidas por causa da expulsão no clássico com o Corinthians válido pela fase de grupos do Estadual.

Punido com três jogos de gancho, ele já cumpriu dois, mas obteve um efeito suspensivo para atuar até o julgamento do recurso. O Palmeiras pôde contar com o goleiro na volta da semifinal contra o Santos e deve tê-lo também na primeira partida da final.

"Nossa expectativa é de que haja justiça no julgamento do Jailson e que ele possa jogar a grande final", afirmou Galiotte, após o congresso técnico das finais na sede da Federação Paulista de Futebol. "Que o tribunal não interfira no campeonato."

Perguntado também sobre a arbitragem da final, comandada por Leandro Bizzio Marinho, Galiotte disse que espera um bom trabalho. "É um clássico muito pesado, mexe muito com todos. Temos que pensar que é importantíssimo que o tribunal não interfira no campeonato, que as arbitragens façam ótimo trabalho, que os atletas pensem em jogar futebol. Tudo faz com que a final se engrandeça."

Tudo o que sabemos sobre:
Palmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.