Galliani diz que Kaká terminará sua carreira no Milan

Vice-presidente do Milan acha que o meia brasileiro já virou um 'símbolo' do clube rubro-negro

Ansa

28 de fevereiro de 2008 | 19h37

Para Adriano Galliani, vice-presidente do Milan, o meia brasileiro Kaká é o melhor do mundo na atualidade, já virou símbolo do clube italiano e tomou a decisão de ficar até 2013 de maneira espontânea, com muita "convicção". Veja também: Kaká renova contrato com o Milan até junho de 2013 "Foi Kaká quem tomou a decisão. Ele sempre teve a convicção, mas nunca tão forte como nestes últimos meses. Kaká é o símbolo do jogo do Milan. É o maior jogador do mundo neste momento e está circundado por grandes jogadores. Com esse time, o Milan foi campeão da Europa e do mundo", disse Galliani ao site do clube italiano, sobre o contrato que vai manter Kaká até 30 de junho 2013 em território rubro-negro. Segundo Galliani, "este é o contrato de sua vida". "Eu espero que, em 2013, façamos mais um acordo desses, mas essa já é a 'prova provada' de que Kaká vai deliciar os nossos torcedores por toda sua carreira. É uma belíssima notícia para todos nós", comemora. Sobre o complô denunciado recentemente pelo Milan, em que Kaká estaria sendo perseguido em campo, o vice-presidente do clube diz esperar que "todos os jogadores como ele sejam mais bem tutelados, sobretudo em relação às faltas por trás". "Esse tipo de falta deveria ser punido com a expulsão, porque é uma atitude covarde e que pode fazer grande mal, acabar com uma carreira". Para Galliani, a carreira de Kaká não vai terminar tão cedo e estará vinculada sempre ao Milan. "Ricky [Kaká] declarou repetidamente que gostaria de virar símbolo desse time. E conseguiu. É o maior jogador do mundo e agora decidiu se ligar definitivamente às cores rubro-negras".

Tudo o que sabemos sobre:
KakáAC MilanAdriano Galliani

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.