Gallo ainda espera por um atacante

Independente da festa de despedida de Robinho, que joga pela última vez com a camisa do Santos quarta-feira em Belém, contra o Paysandu, o técnico Gallo quer contabilizar mais três pontos para continuar entre os times de ponta. Com apenas três pontos a menos que o líder Corinthians, o treinador acha que a campanha do time no primeiro turno foi boa. "A pontuação foi ótima, estamos em quarto lugar e a três pontos do Corinthians", disse ele, lembrando dos problemas extra-campo, como a saída de Léo e Deivid, jogadores chegando durante a competição e a falta de pré-temporada, que até agora tem reflexos no estado físico dos atletas. Sem Robinho, Gallo ainda espera a contratação de um atacante, mas as dificuldades são grandes. Começam pela falta de jogadores de nível de seleção que possam atuar com os salários compatíveis ao futebol brasileiro e terminam no inflacionamento do mercado depois da venda de Robinho. É que o Santos é um dos poucos times com dinheiro em caixa e as pedidas sobem rapidamente quando o interessado é identificado. Gallo não descartou o interesse no lateral-esquerdo Kleber, que joga na Suíça. "Todo grande jogador interessa", comentou. Já o atacante está mais difícil. Os dirigentes santistas continuam tentando trazer um do exterior e esperam também o fechamento das inscrições para ver se sobra algum jogador do nível pretendido pelo treinador. O time viaja amanhã cedo para Belém, onde treina à tarde e enfrenta o Paysandu quarta. Hoje, o volante Fabinho e o goleiro Henao começaram a treinar fisicamente, mas não se sabe ainda quando voltarão a jogar. O lateral-direito Paulo César e o atacante Basílio continuam fazendo tratamento médico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.