Gallo evita críticas ao time santista

Irritado, o técnico do Santos deixou o gramado do Castelão tendo de dar respostas sobre sua permanência no clube. Gallo viveu uma semana difícil após a eliminação da Taça Libertadores, cheia de especulações sobre sua eventual demissão e a contratação de Emerson Leão. Após o 0 a 0 com o Fortaleza, o treinador foi seco: "O que muda? Nada. O que muda é que o Santos fez mais um ponto." Mais calmo, já no vestiário, Gallo evitou críticas ao desempenho do time. "Não consideramos o empate bom porque jogamos melhor. O Santos teve chances reais de gol. O resultado mais normal seria uma vitória", afirmou. "Criamos várias oportunidades. Creio que faltou o toque final para concluir", opinou o goleiro Mauro. O técnico do Fortaleza, Vágner Benazzi, não viu o jogo da mesma forma. "O time do Santos se fechou e não abriu nunca, só saía no contra-ataque. Nós tivemos um controle de bola muito maior, tivemos oportunidades, o Santos também. Acho que o resultado valeu", afirmou. Gallo também explicou o fato do atacante Basílio ter ficado no banco e entrado apenas após o intervalo. "O Basílio já vinha sentindo durante a semana e sabíamos que não conseguiria jogar os 90 minutos. Por isso, seguindo orientação do departamento médico, entrou para jogar só no segundo tempo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.