Gallo pode ir para o Atletico-PR

O Corinthians e a Hicks Muse continuam esperando uma resposta do volante Rincón. A empresa norte-americana, pressionada pelo técnico Wanderley Luxemburgo, que exige uma definição urgente para o caso, fez sua última proposta ao jogador voltar ao Parque São Jorge. Agora, oferece R$ 160 mil de salários mensais para o colombiano assumir o comando do meio-de-campo da equipe, que ficou com chances matemáticas de classificação para a semifinal do Campeonato Paulista, após a derrota, nos pênaltis, para o São Caetano, sábado. Rincón, que havia recusado o salário de R$ 120 mil oferecido anteriormente pela Hicks, ficou de estudar a nova oferta. Gallo, volante que veio do Atlético Mineiro por indicação do técnico demitido Dario Pereyra, pode se transferir para o Atlético Paranaense. Paulo César Carpegiani, treinador do clube de Curitiba, quer o jogador, colocado na reserva por Wanderley Luxemburgo. O Corinthians não deverá colocar obstáculos para a saída de Gallo, que quando foi contratado teve o seu futebol comparado ao de Rincón pelo dirigente Antonio Roque Citadini. Além da quantia a ser arrecadada com a transferência de Gallo, o clube quer mais dinheiro para poder cobrir os gastos que terá com Rincón. Por isso, também vai acionar seus devedores. O Santos, que deve R$ 900 mil, ainda referentes à transferência de Rincón, receberá um ultimato para saldar imediatamente a dívida. O Grêmio, que ainda não pagou R$ 800 mil da negociação do zagueiro Nenê, e o Botafogo do Rio, que deve R$ 300 mil referentes à compra do passe do lateral-esquerdo Augusto, também serão pressionados a quitar os débitos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.