Gallo pode ter 3 reforços no domingo

Gallo pode ter mais três jogadores para o jogo de domingo contra o Flamengo, na Vila Belmiro: Elton, Diego e Ávalos foram liberados pelos médicos, nesta quinta-feira, e podem voltar ao time quando o técnico precisar. E isso deve acontecer já na próxima partida. O zagueiro Rogério está suspenso pelo terceiro cartão amarelo e Ávalos deve ser escalado. Diego pode jogar ao lado de Geílson para que Giovanni possa jogar na meia, armando jogadas de ataque. O que Gallo não quer é relaxamento por conta da má campanha do Flamengo, que está nas últimas colocações. "Temos de ter os pés no chão, pois é mais um clássico do futebol brasileiro, um jogo difícil que temos de vencer". Ainda no vestiário em Curitiba, Gallo teve a primeira conversa com os jogadores e se mostrou descontente com os erros individuais que acabaram permitindo o empate do Atlético-PR. "Isso não pode acontecer, não podemos mais tomar gols como os que levamos", disse o treinador, ressaltando que trabalha muito em cima dos detalhes. "Nesse jogo, os detalhes foram fundamentais contra a nossa equipe e ocasionaram os gols do adversário". Mesmo com essas críticas, Gallo acha que, no conjunto, o time foi bem. "Acho que o Santos fez uma grande partida. Atacou sempre, buscou o gol em todos os momentos, mas aconteceram as falhas individuais que resultaram em gols do adversário". O treinador elogiou bastante o desempenho do lateral-esquerdo Kleber, que estreou em Curitiba. "O Kleber esteve muito bem desde os treinamentos em Atibaia e manteve isso no jogo. Parecia até um jogador que já estava havia muito tempo em nosso plantel. Ele se entrosou muito bem com todos. É um grande jogador". O goleiro Saulo, um dos que falharam, procurou atribuir o mérito do primeiro gol de Jancarlos - em cobrança de falta no primeiro minuto de jogo. "Ele me surpreendeu. Me pegou desprevenido e foi mérito dele. Eu acreditava que ele não bateria do gol dali e ele bateu", comentou. Depois desse lance, Saulo revelou que sentiu sua responsabilidade aumentar. "A partir do momento que errei, teria de fazer o máximo possível para me redimir e passar confiança para meus companheiros dentro de campo para que pudéssemos buscar o resultado. E foi o que aconteceu".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.