Gallo: Santos tem obrigação de vencer

Os jogadores do Santos vão respeitar os do São Paulo no clássico deste domingo, na Vila Belmiro, como se fosse o time que conquistou a terceira Libertadores da América. Ninguém fala em carimbar as faixas de campeão do adversário e nem entra nas provocações do gerente de futebol do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, que sugeriu que o Santos levasse o jogo para Mogi Mirim, como fez no Campeonato Paulista, para que o adversário não ganhasse o título na Vila. "Independente de quem for escalado, o São Paulo é sempre forte. Só que por jogar em casa e estar na quarta colocação no Campeonato Brasileiro, a apenas dois pontos do líder, a obrigação de vencer é do Santos", disse Gallo, na coletiva à imprensa, após o coletivo desta sexta, na Vila Belmiro. O capitão Ricardinho seguiu o discurso do técnico, dizendo que o seu time não tem o compromisso de carimbar a faixa de campeão do São Paulo. "O São Paulo foi merecedor do título e não tem essa de carimbar faixa. A vitória deles não muda nada para o Santos, que trabalhou para ganhar o jogo de domingo. O São Paulo também sabe que vai enfrentar o Santos e há respeito dos dois lados". Na segunda parte do coletivo desta sexta, Gallo trocou o zagueiro Aldair por Halisson e depois explicou que a sua única dúvida para escalar o time é essa. "Tivemos falha de posicionamento na defesa contra o Goiás e, por isso, talvez comece com o Halisson, que já foi titular", explicou o técnico. Ele disse que conversou com o Altair no intervalo do jogo e que, antes, havia orientado a defesa na preleção e mostrado no computador como devia ser a colocação da zaga. Mas o erro persistiu. "Altair ainda é novo e momentaneamente não foi bem, o que é normal. Vamos tentar acertar a defesa e mais para frente ele pode voltar". Gallo confirmou nesta sexta que o Santos vai contratar pelo menos seis reforços nos próximos dias. "Três chegarão para entrar direto no time", disse. Um deles deve mesmo ser o goleiro Roger, reserva de Rogério Ceni, e os outros dois atacantes para os lugares de Robinho e Deivid. Léo viajou na noite desta sexta para Lisboa, faz exames médicos neste sábado e deve ser apresentado à torcida pelo Benfica no amistoso de domingo contra o Chelsea, da Inglaterra. Mesmo assim, os dirigentes têm uma ponta de esperança em sua permanência na Vila porque o jogador viajou com uma proposta do presidente Marcelo Teixeira e ainda precisa resolver algumas pendências para assinar com o clube português. Quanto a Deivid, a promessa dos dirigentes é que o assunto será resolvido numa reunião neste sábado. Se não houver acerto, Deivid se reapresentará ao Bordeaux na segunda-feira. Para ficar com o atacante, o Santos terá que pagar 5 milhões de euros. O zagueiro Leonardo continua na Europa e deve assinar com um clube da Holanda. Seu passe está sendo vendido por 3 milhões de euros, dos quais o Santos ficará com 1,8 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.