Pedro Souza/Atlético
Pedro Souza/Atlético

Gallo vê Atlético-MG com 'erros fáceis de corrigir' e nega oscilação

Diretor de futebol diz que equipe tem '100% de confiança' e vê detalhes determinantes nos resultados ruins

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

08 Agosto 2018 | 16h57

De vice-líder do Campeonato Brasileiro até a pausa para a Copa do Mundo da Rússia a dono de uma das piores campanhas na retomada da competição, com apenas quatro pontos somados em cinco jogos. Esse é o cenário do Atlético Mineiro, que ainda está na zona de classificação para a próxima edição da Copa Libertadores, em quinto lugar, mas já se distanciando de São Paulo, Flamengo e Internacional na briga pelo título nacional.

Após perder por 1 a 0 para o Inter na segunda-feira e folgar na terça, o elenco atleticano se reapresentou nesta terça, na Cidade do Galo, onde os jogadores tiveram uma reunião com o diretor de futebol Alexandre Gallo. O dirigente destacou, porém, que tem total confiança no trabalho que vem sendo desenvolvido pela comissão técnica de Thiago Larghi e nos jogadores.

"Temos 100% de confiança. O time tem jogado bem para ter mais do que essa pontuação no pós-Copa. Alguns detalhes vem fazendo com que às vezes empatemos ou percamos os jogos, talvez por falta de atenção, que é algo que estamos cobrando. São detalhes fáceis de serem corrigidos", afirmou o dirigente em entrevista ao Estado.

Os "erros fáceis de serem corrigidos" a que Gallo se refere são os gols sofridos nos minutos finais de partidas recentes após cobranças rápidas de falta. Foi assim que se definiram o empate do Atlético-MG por 2 a 2 com Bahia e as derrotas para o Palmeiras, por 3 a 2, e para o Inter.

Na visão de Gallo, que garante não enxergar oscilação dentro de campo, essas falhas explicam a queda do time. "Não estamos apresentando oscilação. Fizemos jogos bons contra Palmeiras e Inter, mas tomamos gols no final, como contra o Bahia. Foi assim também contra o Inter, em um jogo em condição anormal (foi paralisado por chuva de granizo e queda de energia). Estamos jogando para estar em uma situação melhor e isso nos dá um alento", disse o ex-jogador.

O elenco do Atlético-MG passou por reformulação durante o período da Copa do Mundo, quando ocupava a segunda posição no Brasileirão. Após a pausa do torneio, o goleiro Giovanni, os volantes Yago e Arouca, o zagueiro Bremer e o atacante Roger Guedes, até então o artilheiro do torneio nacional, saíram do clube, assim como o também volante Gustavo Blanco sofreu grave lesão que o manterá afastado dos gramados até a próxima temporada.

Diante das baixas, o Atlético-MG também foi ao mercado se reforçar, acertando as chegadas de Chará, David Terans, Denilson, Edinho, José Welison, Leandrinho e Nathan. E Gallo avisou que mesmo com a queda de rendimento vista nas últimas semanas, o clube não planeja realizar novas contratações. "Estamos contentes com o elenco e a reformulação que foi feita. Vamos contratar apenas se for uma oportunidade realmente boa", concluiu.

Com os recentes tropeços, o Atlético-MG caiu para o quinto lugar no Brasileirão, com 27 pontos, a oito do líder São Paulo. O time buscará se reabilitar no domingo, quando vai encarar o Santos, no Independência, pela 18ª rodada.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.