Galvão, via Luxemburgo, no Corinthians

Galvão é o novo nome entre os vários jogadores que poderiam ser contratados pelo Corinthians para 2005. O atacante de 22 anos seria nome indicado por Vanderlei Luxemburgo. Ele foi o artilheiro do Paraná no Brasileiro. Marcou 16 gols. Ele enfrenta a concorrência de Luizão que se recupera de operação no joelho direito.O detalhe neste duelo é que o passe de Galvão pertence ao empresário Sérgio Malucelli, presidente do Iraty, e muito amigo de Luxemburgo. "Não existe essa história de Galvão. Nós não vamos investir nesse jogador. Isso já está decidido", jura o empresário Renato Duprat, que intermediou a vinda do fundo de investimento MSI no Corinthians.Duprat tem convivido com Kia Joorabchian e acabou se tornando o seu porta-voz. Se Kia não quiser, de nada adiantarão os pedidos feitos por Luxemburgo. Na estrutura empresarial que a MSI quer implantar no clube do Parque São Jorge, o treinador será apenas um funcionário, que poderá dar sugestões. Não obrigará o clube a contratar quem quer que seja. Por melhor que seja o atleta ou maior seja a sua amizade com aqueles que o recomende.Se houvesse um acerto com Luizão seria muito melhor para o clube. O jogador procurou a Justiça Comum, e tem uma ação que obrigaria o Corinthians a lhe pagar nada menos que US$ 8 milhões.A diretoria corintiana teria feito um acordo para pagar US$ 3 milhões. Esse dinheiro seria diluído ao longo de contrato de dois anos. Se Luizão não for contratado, o jogador desejaria o dinheiro à vista. E o total, US$ 8 milhões.No Parque São Jorge, a diretoria não leva a sério a reviravolta da postura de Tite. Depois de o treinador afirmar, várias vezes, que não ficaria sequer na mesma sala para conversar com Kia Joorachian, Tite vem afirmando que pode analisar a sua situação, se trabalhasse com a MSI.Os dirigentes fazem todos os planos para 2005 seguindo indicações de Vanderlei Luxemburgo. Mesmo a possível conquista do Campeonato Brasileiro pelo Santos não mudaria nada entre as partes. Pelo contrário. Kia teria acertado pessoalmente com o treinador um contrato de três anos.A mágoa de Tite está justamente nesse acordo com Luxemburgo. Amigos do técnico sabem que foi ele quem indicou os jogadores que deverão ficar sob comando do seu inimigo Luxemburgo em 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.