Gamarra e Masc: liderança em campo

Corinthians e Palmeiras têm a partir de hoje novos líderes em campo. Pelo lado corintiano, o jovem volante Javier Mascherano, de 21 anos, possui missão similar à do veterano zagueiro Gamarra, de 34, palmeirense desde a última semana. Ambos não só terão de corrigir falhas do sistema defensivo de seus times, como são candidatos fortes a futuros capitães. Hoje, no Morumbi, travam o primeiro duelo. Dois estrangeiros que precisarão de certo tempo para se adaptar ao time e à cidade. No segundo quesito, o paraguaio Gamarra sai na frente, afinal brilhou no Corinthians entre 1998 e 2000. O argentino Mascherano, por sua vez, tem a seu favor o contato com mais dois compatriotas no elenco: Carlos Tevez e Sebastian Dominguez. "Fui bem recebido por todos, espero que logo esteja totalmente adaptado", disse o volante.Durante as partidas, outra história. Para não exigir demais de Gamarra, o técnico Paulo Bonamigo armou um esquema com três zagueiros, cabendo ao paraguaio a tarefa de líbero. "Ele supera todas as questões de tempo de trabalho com experiência e orientação. Tem uma noção de posicionamento que nunca vi em nenhum outro zagueiro", elogiou o treinador.Márcio Bittencourt, do Corinthians, não deixa por menos. Para ele, Mascherano "não vai ter qualquer dificuldade contra o Palmeiras, sua qualidade vai superar a falta de entrosamento". Os companheiros também não se cansam de falar bem do volante: "Com ele, a equipe inteira vai melhorar", espera o meia Carlos Alberto, feliz por passar a ter mais espaço para atacar com a chegada do reforço. "Já joguei contra ele, nunca desiste de nenhum lance." A diferença já começou a ser vista no Palmeiras. O zagueiro Nem espera que ele seja o xerife do alviverde. "Ele orienta muito em campo. Logo no seu primeiro dia veio conversar com a gente, para corrigir o posicionamento", contou.Dois defensores com rara habilidade. Gamarra tem no currículo, entre títulos e grandes atuações, o fato de ter passado toda a Copa do Mundo de 1998, na França, com uma única falta em toda a competição na qual o Paraguai foi eliminado nas oitavas-de-final, pela França. Mascherano não só marca bem, chega a ser truculento em alguns lances, como apóia com eficiência o ataque. Tanto que fez belos gols pelo seu antigo clube, o River Plate. "Vou provar aos poucos que não sou um jogador violento", garantiu o argentino.Além das estréias, os técnicos têm outras armas para o clássico. Bonamigo, sem Juninho, suspenso, aposta na boa fase de Marcinho, artilheiro do da equipe com oito gols, e Pedrinho. E na inspiração do jovem atacante Alex Afonso, que tem feito bons treinos e ganha uma chance.Márcio terá time completo, com sete dos chamados galácticos - jogadores contratados pela MSI. Retornam Carlos Alberto, que estava suspenso, Marcelo Mattos, machucado, e Tevez, de volta da seleção argentina. "Com tantos bons jogadores, vai ser, com certeza, um grande jogo", profetizou o técnico do Corinthians.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.