Gamarra joga nos "atalhos" do campo

Aos 34 anos, a velocidade não é a mesma. Mas o zagueiro paraguaio Gamarra promete atingir no Palmeiras, ainda neste Campeonato Brasileiro, o mesmo nível que o consagrou no rival Corinthians em 1998 e 1999. ?Sei que ainda falta muito para chegar aos 100% daquela época. O tempo é curto. Cheguei fora de forma ao Palmeiras, pois estava de férias, mas estou subindo de produção assim como todo o time?, disse o jogador, vindo da Internazionale de Milão.Com a idade, o cansaço físico é maior, mas o melhor zagueiro da Copa de 98 disse que conhece os atalhos do campo. ?O tempo chega para todo mundo. O auge técnico e físico do atleta é aos 28 anos. Aos 34, a fase é outra e é preciso pensar mais nas jogadas?, afirmou o paraguaio, que após jogar por Internacional, Corinthians e Flamengo sabe se expressar muito bem em português.Gamarra revelou que sentiu raiva após a derrota para o Santos, quarta-feira à noite, na Vila Belmiro. ?Depois dos primeiros 15 minutos, dominamos o jogo e tivemos muitas chances de conseguir a vitória, mas falhamos.?Gamarra dividiu com o restante do elenco a ajuda na melhora do desempenho de Daniel, companheiro de zaga, bastante criticado pela torcida antes da sua chegada ao Palestra Itália. ?Ele é um ótimo zagueiro. Precisava de confiança e os bons resultados o ajudaram a atuar com mais tranqüilidade.?Bem-humorado, o paraguaio comentou o fato de ainda não ter recebido um cartão amarelo nos 17 jogos que disputou pelo Palmeiras. ?Vou tomar logo um cartão para vocês (jornalistas) pararem de perguntar.? Gamarra lembrou que na época de Corinthians, o então técnico Vanderlei Luxemburgo chegou a pedir que ele recebesse um cartão amarelo no jogo seguinte por causa das constantes perguntas da imprensa.Marcos - Se Gamarra tem lugar garantido no jogo de domingo, às 18h10, contra o Goiás, no Palestra Itália, o mesmo não acontece com Marcos. Desde a chegada do técnico Emerson Leão, em 18 de julho, nesta sexta-feira pela manhã foi a primeira vez que o goleiro pentacampeão mundial disputou um coletivo na equipe titular. Mas isto não garantiu seu retorno ao time. ?O tempo vai mostrar quando o Marcos deve voltar. Está se aproximando a hora de ele ser titular. Não há mais desculpas?, justificou Leão.Durante o coletivo, o treinador chamou a atenção de Marcos em duas saídas de bola erradas do goleiro, que ainda demonstra estar um pouco fora de ritmo. Depois do Goiás, o Palmeiras terá uma semana de treinos até enfrentar o Vasco, em São Januário. Uma boa produção nos coletivos que serão programados poderá garantir a camisa 1 para Marcos, que disputou seu último jogo em 17 de julho, na derrota por 2 a 1 para o Fortaleza, no Palestra Itália.Leão não poderá contar neste domingo com Baiano e Marcinho, suspensos com o terceiro cartão amarelo. Fabiano volta à lateral-esquerda, enquanto Warley deve ficar com a vaga no ataque, formando dupla com Gioino. ?A tendência é que eu escale dois centroavantes, pois não tenho um meia com as características do Marcinho na reserva.? Warley vibrou com a nova oportunidade. ?Preciso apresentar um bom futebol para obter uma seqüência de jogos.?No meio-de-campo, Marcinho Guerreiro, que não enfrentou o Santos, por estar suspenso, substitui Roger. Ele e Correa serão os volantes. Apesar da atuação apagada no clássico, Diego Souza segue no meio-de-campo. Pedrinho continua como opção no banco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.