Gana suspende Muntari e Boateng da seleção por agressão e insulto

Meio-campistas são cortados da Copa do Mundo por indisciplina

Agência Estado

26 de junho de 2014 | 09h31

A Associação Ganesa de Futebol (GFA, na sigla em inglês) anunciou nesta quinta-feira que os meio-campistas Sulley Muntari e Kevin-Prince Boateng estão suspensos da seleção do país por indisciplina e foram desligados da delegação que está no Brasil disputando a Copa do Mundo. O tempo da sanção de ambos é descrito como "indefinido", mas é certo que nenhum deles vai enfrentar Portugal nesta quinta-feira ou defenderá Gana se a equipe conseguir passar da primeira fase do torneio.

O caso mais grave é o de Muntari, que é acusado de agredir Moses Armah, dirigente que cumpria funções de membro do Comitê Executivo da GFA e de gerência da seleção ganesa, em incidente que aconteceu em reunião na última terça-feira. O jogador do Milan disputava seu terceiro Mundial e era titular da equipe.

Por sua vez, Boateng se dirigiu ao técnico ganês Kwesi Appiah nesta semana com "insultos vulgares", segundo a GFA. A entidade afirma que o atleta do Schalke 04 não se arrependeu de sua atitude, o que colaborou para que ele também fosse suspenso. O meia foi reserva na derrota por 2 a 1 para os Estados Unidos, na estreia dos africanos no Mundial, no dia 16, e titular no empate por 2 a 2 com a Alemanha, no último domingo.

As punições escancaram a crise no elenco de Gana. Na quarta-feira, a GFA admitiu que precisou intervir para evitar greve dos jogadores, que estavam insatisfeitos com a falta de pagamento de prêmios pela participação no Mundial. No dia 18, a entidade negou que havia possibilidade de um motim de atletas contra o técnico Kwesi Appiah, movimento supostamente liderado por Boateng.

Em campo, a situação de Gana também não é fácil. A seleção africana está em terceiro lugar no Grupo G, com um ponto ganho e um gol negativo de saldo, e por isso precisa bater Portugal nesta quinta-feira, às 13 horas, em Brasília. Ao mesmo tempo jogarão Alemanha e Estados Unidos, no Recife, e os ganeses precisam que haja um vencedor nessa partida - preferencialmente os germânicos, que têm quatro pontos e quatro gols de saldo, enquanto os norte-americanos também têm quatro pontos, mas só um gol de saldo.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014futebolGana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.