Gana venceu com marcação eficiente e falhas do rival

Maior esperança da África nesta Copa do Mundo, a seleção de Gana reforçou o seu setor defensivo para surpreender os Estados Unidos neste sábado e se classificar para as quartas de final. A retranca, porém, não impediu que o time africano marcasse dois gols, graças às seguidas falhas da defesa norte-americana.

FELIPE MENDES, Agência Estado

26 de junho de 2010 | 19h03

Gana entrou em campo com apenas um jogador no ataque. Gyan, que marcou o gol da vitória, recebia o apoio de Boateng e Ayew, que avançavam em velocidade, mas voltavam para restabelecer uma linha de cinco no meio-campo, apoiada por mais quatro jogadores na zaga e nas laterais.

Com essa formação, o time africano praticamente neutralizou a armação dos Estados Unidos. Donovan e Bradley, jogadores mais habilidosos da equipe, quase não produziram, principalmente no primeiro tempo. Donovan, por sinal, só chegou ao empate em uma cobrança de pênalti.

A boa marcação ganense funcionou mesmo depois que os Estados Unidos cresceram na partida na volta do intervalo. Como o combate começava já no meio-campo, o adversário não conseguia se aproximar da área e quase não levava perigo ao gol de Kingson.

E, quando chegava ao ataque, falhava na pontaria. Das nove finalizações no segundo tempo, apenas duas acertaram a meta ganense. Na prorrogação, o aproveitamento foi ainda pior. Foram sete arremates, mas nenhum deles chegou ao gol rival.

Além de criar pouco no ataque, a equipe norte-americana cometia muitos erros no meio-campo. Foi assim que Gana marcou seus dois gols na partida, mesmo contando com um ataque esvaziado. No primeiro, Bradley perdeu a bola antes da linha do meio-campo e abriu o contra-ataque que gerou o gol de Boateng.

No segundo, já na prorrogação, Gyan recebeu lançamento quase sem marcação e aguentou o tranco de Bocanegra, em uma marcação atrasada, antes de bater para o gol. Foi a única finalização de Gana nas duas etapas do tempo extra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.