'Ganhar no Flamengo deve ser muito legal', diz Muricy em apresentação

Oito meses após precisar se afastar do futebol para tratar de uma diverticulite, Muricy Ramalho está feliz de novo. Um dia depois de Eduardo Bandeira de Mello ser reeleito presidente do Flamengo, o treinador foi apresentado nesta terça-feira como novo comandante rubro-negro.

Estadão Conteúdo

08 de dezembro de 2015 | 20h17

Desejado por diversos clubes grandes do futebol brasileiro, Muricy pôde escolher o desafio que mais o motivaria. Por isso acertou com o Flamengo, conforme contou em entrevista coletiva. "Fiquei muito honrado pela transparência e organização. É um desafio muito grande, mas ganhar no Flamengo deve ser uma coisa muito legal. Estou à disposição e com certeza vou colaborar com a diretoria. Estou muito seguro", disse o treinador em sua apresentação.

A chapa vencedora das eleições rubro-negras escolheu Muricy, mas o treinador também escolheu o Flamengo. Com contrato de dois anos, ele diz que pretende seguir no comando do clube por mais tempo. "Na minha carreira escolhi muito bem os lugares que trabalhei. Acho que fiz uma escolha muito correta. Raramente saio antes do fim do contrato. Isso acontece porque sou um cara de conquistas, e aqui não será diferente. Espero ficar até mais do que dois anos no Flamengo."

Quando deixou o São Paulo em março, Muricy Ramalho era criticado especialmente pelos seus treinos, uma vez que o elenco tricolor tinha poucas atividades táticas e técnicas. De volta ao futebol após oito meses, o treinador diz estar mudado.

"Estou melhor, pois estudei, vi jogos, conversei com pessoas diferentes. Fiquei afastado do futebol para cuidar da saúde e da família. Estudei bastante as tendências do mundo em todas as áreas. Não só no futebol, mas na parte administrativa, base, tudo isso. A ideia é unificar todas as categorias e escolher uma ideia de jogo. É um trabalho que não será rápido, mas é importante", comentou.

De acordo com ele, a diretoria lhe deu carta branca para promover a integração entre a base e o profissional. Nesta terça, ele foi até o Ninho do Urubu já com a ideia de pensar em melhorias. "Claro que falta muita coisa, mas tem um projeto inicial para janeiro que vai já estar melhor. E daqui um ano uma coisa definitiva. Não tem como no futebol depender da sorte."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFlamengoMuricy Ramalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.