Rubens Chiri/Divulgação
Rubens Chiri/Divulgação

Ganso deixa para Leco a decisão sobre se sai ou não do São Paulo

Sondado pelo Santos, meia despista e até rebate Dunga em coletiva

O Estado de S. Paulo

03 de dezembro de 2015 | 16h50

O meia Paulo Henrique Ganso, do São Paulo, despistou nesta quinta-feira sobre o interesse do ex-clube, o Santos, em contratá-lo como reforço para 2016. O jogador deixou a decisão para o presidente do time do Morumbi, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, e disse que pelo menos por enquanto, vai se reapresentar para a pré-temporada em janeiro para trabalhar com o clube atual.

"Não tem que chegar pra mim, tem que chegar para o presidente do São Paulo, para o Leco (Carlos Augusto de Barros e Silva). Ele que vai optar se sou um jogador negociável no momento ou não", comentou o jogador, que saiu do Santos para o São Paulo em agosto de 2012 e já disputou 187 partidas pelo time atual. "Tenho contrato. Já surgiram tantos boatos, mas já conversei e a princípio minha apresentação acontece dia 5 de janeiro aqui no São Paulo", acrescentou.

O presidente do Santos, Modesto Roma Junior, disse semanas atrás que estava aberta a temporada de "caça ao Ganso". A procura pelo meia seria uma precaução para a possível saída de Lucas Lima, procurado por times europeus como o Porto, de Portugal. "Tive uma história muito legal e muito bonita no Santos, e aqui no São Paulo estou tentando criar minha história. Tive o título da Sul-Americana, mas pra mim é muito pouco", afirmou.

Durante a entrevista coletiva no CT da Barra Funda o meia também rebateu uma declaração sobre ele dada pelo técnico da seleção brasileira Dunga. Na segunda-feira o treinador afirmou que não o convoca porque o jogador não se preocupa em marcar. "Na minha função, tenho um bom número de desarmes. Não tenho mais o que responder."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.