Werther Santana|Estadão
Werther Santana|Estadão

Ganso marca, São Paulo quebra tabu e vence o Palmeiras no Morumbi

Equipe ganha um clássico após 10 jogos graças ao decisivo meia

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

29 de maio de 2016 | 18h05

Em um jogo marcado pela ofensividade, o São Paulo derrotou o Palmeiras por 1 a 0, no Morumbi, e acabou com o tabu de não vencer clássicos. No total, foram 10 partidas sem um resultado positivo contra os maiores rivais e manteve a marca de não perder para o time alviverde em casa. A última vez foi em 2002. Os destaques da partida foram Ganso, autor de uma belo cabeceio na bola para garantir a vitória e também Fernando Prass. Apesar da derrota, o goleiro palmeirense fez pelo menos três grandes defesas e evitou que o placar fosse ainda maior.

Com o intuito de surpreender o rival, o técnico Cuca armou uma escalação bastante ofensiva, com o time no 4-3-3, mas com quatro atacantes. Ao invés de colocar Moisés, como esperado, ele escalou Dudu para a criação. Na lateral-esquerda, Zé Roberto foi o escolhido para substituir o machucado Egídio.

Cuca decidiu correr o risco. Ganhou em ofensividade e perdeu na marcação e criação. No início do jogo, parecia ter sido uma aposta certeira. Mesmo com dificuldades, o Palmeiras tinha a bola no pé e chegava com velocidade ao ataque. Dudu centralizado, ditava o ritmo da equipe, que se aproveitava dos espaços deixados por Matheus Reis e Bruno para explorar as laterais. 

Aos 3, quase abriu o placar. Zé Roberto cruzou na área e Alecsandro cabeceou sozinho. Denis soltou a bola, mas antes de dar rebote ficou com ela. O São Paulo precisou de pouco tempo para perceber que teria muito espaço para jogar se conseguisse segurar a bola. No meio palmeirense, Thiago Santos se desdobrava na marcação, já que Jean e Tchê Tchê, que trocavam de posição entre lateral e a meia, não conseguiam ajudá-lo. Até que aos 10 minutos, o time da casa conseguiu encaixar uma boa jogada. Thiago Mendes deu início a um contra-ataque rápido, no campo de defesa. Sem marcação, correu metade do gramado, tabelou com Kelvin e a bola ficou com Bruno, que cruzou na área, Thiago Martins errou o tempo da bola e Ganso apareceu de surpresa na área para cabecear e abrir o placar.

O gol não mudou o panorama do jogo. O Palmeiras passou a jogar mais centralizado, com Dudu, entretanto não conseguia encaixar um bom ataque. Alecsandro, que seria a referência na área, praticamente não tocava na bola. Maicon não desgrudou do palmeirense. Cuca percebeu o erro na escalação e antes mesmo do fim do primeiro tempo já começou a conversar com Rafael Marques e Moisés, que entraram na segunda etapa, nos lugares, respectivamente, de Róger Guedes e Thiago Santos.

As mudanças fizeram o jogo ganhar em dinamismo. O Palmeiras não conseguiu resolver o problema da marcação, mas ganhou em criação. Jean ficou mais recuado, Moisés jogou como segundo volante, com liberdade para chegar na frente, enquanto Rafael Marques ficou centralizado na frente, Gabriel Jesus mudou do lado esquerdo para o direito e Dudu foi para a esquerda.

Os visitantes tiveram duas boas chances de empatar. Aos 9, Rafael Marques arriscou de fora da área e Denis defendeu. Aos 18, Moisés também arriscou de longe, o goleiro rebateu e Alecsandro quase pegou o rebote. Mas a liberdade para o São Paulo jogar continuou e o Palmeiras precisou contar com a estrela de Fernando Prass para evitar o segundo gol. Em dois minutos, foram três grandes defesas. Cabeceada de Centurión, chute de fora da área de Thiago Mendes e outra tentativa de cabeceio, desta vez de Maicon. Em todas, o palmeirense evitou o gol.

A sequência parece ter assustado o Palmeiras, que se retraiu e parecia mais com receio de levar o segundo gol do que disposição para atacar. Tanto que Prass precisou fazer mais uma grande defesa aos 32, quando Kelvin dominou livre na área, encheu o pé e o palmeirense novamente fez a defesa. Os minutos finais foram de um Palmeiras desorganizado e sem conseguir chegar ao ataque contra o São Paulo que mesmo com a vantagem, se manteve na frente e parecia que era quem estava perdendo. No fim, a vitória por 1 a 0 acabou até de bom tamanho para os palmeirenses. 

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 x 0 PALMEIRAS

SÃO PAULO: Denis; Bruno, Lugano, Maicon e Matheus Reis; Thiago Mendes (Rogério), Wesley e Ganso; Centurión (João Schmidt), Kelvin e Alan Kardec (Ytalo). Técnico: Edgardo Bauza.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Tchê Tchê, Thiago Martins, Vitor Hugo e Zé Roberto; Thiago Santos (Moisés), Jean e Dudu; Róger Guedes (Rafael Marques), Gabriel Jesus (Erik) e Alecsandro. Técnico: Cuca

GOL: Ganso, aos 10 minutos do 1º Tempo

JUIZ: Ricardo Marques Ribeiro (MG) 

CARTÕES AMARELOS: Thiago Santos, Lugano, Alan Kardec e Zé Roberto, Moisés, Vitor Hugo

RENDA: R$ 654.075,00

PÚBLICO: 21.016 torcedores

LOCAL: Morumbi, em São Paulo

 

        

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.