Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

'Ganso não gosta de procurar o gol, gosta de passar', diz Muricy

Técnico enfatizou que jejum do meia se deve ao seu estilo de jogo, que privilegia assistências

AE, Agência Estado

23 de fevereiro de 2012 | 12h10

BARUERI - O meia Paulo Henrique Ganso ainda não conseguiu marcar um gol nesta temporada. O fato, porém, foi minimizado pelo técnico Muricy Ramalho na vitória do Santos por 2 a 0 sobre o Comercial, na última quarta-feira à noite, em Barueri, pelo Campeonato Paulista. O treinador chegou a dizer que o jogador não gostar de balançar as redes adversárias, mas enfatizou que isso se deve ao seu estilo de jogo, que privilegia as assistências aos companheiros.

"Temos que respeitar as características do jogador. O Ganso não é um jogador que gosta de fazer gols. Para ele, o gol é o passe, o melhor gol é o passe. Ele não gosta de procurar o gol, quando está perto do gol gosta de passar", ressaltou o comandante, para depois lembrar que a criação de jogadas é realmente a principal missão de Ganso com a camisa santista.

"Quero que ele venha no meio organizar, porque a bola tem que sair redonda e sai com quem conhece a posição, que é o Ganso. De vez em quando (o meio-campo) está muito fechado ele vem buscar a primeira bola", completou o treinador, em entrevista coletiva.

Ganso, porém, teve poucas chances de marcar gols neste ano, pois só disputou seis partidas, sendo cinco pelo Campeonato Paulista e uma pela Copa Libertadores, sendo que no ano passado ele balançou a rede cinco vezes em 30 confrontos.

Já ao falar de Neymar, que fez linda jogada no lance do gol de Ibson na vitória sobre o Comercial, Muricy reclamou do grande número de faltas sofridas pelo atacante. "Estão abusando do rodízio. Ele não se joga, é falta. Falo isso pensando na Copa de 2014. Ele é muito forte fisicamente, mas uma hora vai acontecer de não aguentar. Temos de proteger o jogador, pois ele é fundamental para a Copa. Se o Brasil quer ganhar, temos de ter o Neymar em campo", opinou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.