Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

Ganso, Neymar e Lucas voltam ao Brasil ovacionados por multidão

Centenas de pessoas se aglomeraram no portão de desembarque do aeroporto de Guarulhos

GIULIANDER CARPES, Agência Estado

18 de julho de 2011 | 20h28

SÃO PAULO - Se depender do apoio da torcida e da tranquilidade de Ganso, Neymar, Lucas e companhia, a eliminação para o Paraguai na Copa América (derrota por 2 a 0 nos pênaltis, após empate por 0 a 0 na prorrogação) não vai deixar cicatrizes profundas nos jogadores que disputaram pela primeira vez uma competição oficial com a camisa da seleção brasileira.

Os três principais nomes da nova geração do futebol brasileiro foram ovacionados por uma multidão no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, no retorno ao País. Centenas de pessoas se aglomeraram no portão de desembarque quando souberam da chegada de Ganso, Neymar e Lucas. E aplaudiram os jovens.

A recepção deu tranquilidade para os três, que mostraram não temer pelo seu futuro na seleção. "Claro que a gente queria vencer, ficou frustrado, mas se continuar fazendo nosso trabalho vão surgir outras oportunidades", disse Ganso, que ainda não decidiu seu futuro - permanência no Santos ou ida para a Europa.

Lucas, que jogou poucos minutos durante a derrota, mostrou-se sereno. "Acho que a eliminação nos ensinou uma lição e vamos sair amadurecidos da Copa América", afirmou o meia são-paulino. "Vão surgir mais chances na seleção e não cometeremos os mesmos erros."

Para o são-paulino, o principal pecado da seleção brasileira foi finalizar mal. "Faltou tranquilidade para fazer o gol. Acho que jogamos muito melhor que o Paraguai e merecíamos a vitória, mas nem sempre o melhor vence."

Neymar, o mais assediado pela torcida e também o mais protegido pelos seguranças, disse poucas palavras. Apenas lamentou a eliminação e garantiu que permanece no Santos pelo menos até o Mundial antes de sair em debandada do aeroporto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.