Ganso pede para jogar ao lado de Jadson no São Paulo

Feliz por ter decidido o jogo contra o Ituano, neste sábado, no Morumbi, Paulo Henrique Ganso deixou o gramado fazendo lobby para atuar ao lado de Jadson, mas, se depender das declarações do técnico Ney Franco, o meia terá de esperar um pouco mais para ser titular do São Paulo.

MARCIUS AZEVEDO, Agência Estado

17 de fevereiro de 2013 | 10h57

O treinador elogiou o jogador, mas fugiu ao ser questionado se o ex-santista estava merecendo ser titular. "A expectativa sobre o Ganso é enorme. Não quero dar esta declaração se ele merece ser titular. Eu prefiro segurar um pouco", afirmou Ney, que, no entanto, admitiu que pode mexer na formação com três atacantes para encaixar Ganso. "Não fico preso em um sistema. O Ganso melhorou o time em termos de dinâmica e fez o gol. Se eu sentir segurança para colocá-lo de titular, eu vou colocar."

Ganso defende um esquema que possa comportar os dois meias. "Dá para jogar junto, até pela qualidade do Jadson. No momento certo, vamos jogar juntos para dar alegria à torcida", disse o meia, que fez o gol da vitória do São Paulo por 3 a 2 sobre o Ituano, pela oitava rodada do Campeonato Paulista.

O goleiro Rogério Ceni estava eufórico com o gol de Ganso. "Sei o quanto é importante este gol para ele, definir o placar. Sei quanto vale um gol desse. Se está 3 a 0, não vale muito. Ele é muito importante, fui dar os parabéns e agradecer pelo resultado".

O capitão são-paulino destacou ainda o número de opções que o time tem hoje para o setor de armação. "Quanto tempo o São Paulo não teve meia depois do Danilo? Há muito tempo falavam isso. Agora tem Jadson e Ganso e, se precisar, também temos o Maicon e Cañete."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.