Divulgação
Divulgação

Ganso pediu para não jogar no sábado, revela Muricy Ramalho

Técnico do São Paulo tira meia de partida contra o Audax, no Morumbi, após camisa 10 admitir que não está se sentindo bem

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

20 de fevereiro de 2015 | 12h57

O técnico do São Paulo, Muricy Ramalho, revelou nesta sexta-feira que o meia Paulo Henrique Ganso pediu para não jogar neste sábado, contra o Audax, por não estar se sentindo bem. Como opção, o time terá a entrada de Thiago Mendes para a partida no Morumbi pelo Campeonato Paulista, enquanto o camisa 10 passou a véspera do confronto em treinos em campo separado, junto com atletas que buscam aprimorar a forma física.

"O Ganso pediu para não jogar porque não está se sentindo bem. A outra mudança no time (a saída de Alan Kardec) é tática porque o Pato está jogando bem e vai entrar", explicou o treinador. A tendência é usar contra o Audax a equipe titular já para formatar a escalação para quarta-feira, quando o time recebe o Danubio, no Morumbi, pela segunda rodada da Copa Libertadores. Nesse encontro, o time tricolor buscará a recuperação após a derrota para o Corinthians por 2 a 0 na estreia.

Ganso ganhou repercussão nos últimos dias por ter criticado o árbitro Ricardo Marques Ribeiro ao fim da derrota no clássico. O camisa 10 o chamou de ladrão e a declaração motivou Ribeiro a processar o são-paulino, decisão que preocupa Muricy. 

O técnico defendeu o meia e explicou que a frase foi dita em momento de irritação. "Tem que ter bom senso. Assim como o árbitro errou, o Ganso também, assim como todos erram. Tem que olhar e ver como é a pessoa, analisar que o Ganso é uma pessoa quieta e do bem. Se ele pensar nisso, vai deixar para lá a ideia de processar".

O provável time do São Paulo para os jogos contra o Audax e o Danubio deve ser escalado com: Rogério Ceni; Bruno, Rafael Toloi, Dória e Reinaldo; Denilson, Souza, Thiago Mendes e Michel Bastos; Alexandre Pato e Luis Fabiano. A partida no Morumbi começa às 17h.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.