Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Garantido em duas finais, Abel Ferreira promete 'gerir energia' no Palmeiras

Técnico português admite o desafio de administrar o elenco, que encara maratona de jogos

Redação, Estadão Conteúdo

14 de janeiro de 2021 | 14h12

Com o Palmeiras garantido na final da Libertadores e da Copa do Brasil e também brigando pelas primeiras colocações no Campeonato Brasileiro, o técnico Abel Ferreira tem o desafio de administrar um elenco já desgastado e, como ele disse nesta quinta-feira, "gerir a energia" dos jogadores para ter o melhor desempenho possível dos atletas.

A classificação à final da Libertadores apertou ainda mais o calendário. Com a decisão contra o Santos marcada para 30 de janeiro, no Maracanã, o time ainda vai entrar em campo mais cinco vezes até lá. Serão duelos válidos pelo Campeonato Brasileiro, sendo realizados em um período de 13 dias. Depois disso, em fevereiro, vem a final diante do Grêmio, pela Copa do Brasil.

O técnico português destacou as dificuldades que o time alviverde enfrenta por ainda estar vivo nas três competições e, portanto, envolvido em uma maratona de jogos, mas também se mostrou feliz, obviamente, por disputar três títulos no final da temporada.

"A sorte é que jogamos um jogo de cada vez. Temos que gerir energia para ter o máximo em cada jogo. São as informações que vamos tirando. Há campos que tem gramados que dão um desgaste físico tremendo. Estamos na luta nas três competições, ainda bem, é duro, é difícil, mas é preferível estar lá disputando do que estar em casa no sofá. As finais são feitas para se ganhar. Mas todas as equipes querem o mesmo e só uma pode ganhar. No futebol não há equipes que ganham sempre ou vão ser sempre campeãs", analisou o treinador, em entrevista coletiva na sede da CBF, no Rio de Janeiro, logo após o sorteio dos mandos de campo da final da Copa do Brasil.

"É verdade que estamos nas três competições, ainda bem. É duro, exige uma capacidade de superação enorme, mas prefiro estar lá disputando do que assistindo no sofá. É para isso que trabalhamos, que somos treinadores, jogadores. É impossível ganhar sempre no futebol. O importante é sabermos o que temos que fazer", completou Abel.

Os jogos decisivos da Copa do Brasil seriam nos dias 3 e 10 de fevereiro, mas a presença do Palmeiras na final da Copa Libertadores fez os duelos passarem para 11 e 17 de fevereiro. No entanto, ainda há a possibilidade de uma nova mudança de datas. Isso vai acontecer se a equipe paulista conquistar o título continental. Como o clube alviverde terá que disputar o Mundial de Clubes da Fifa, entre 1º e 11 de fevereiro, no Catar, a decisão do torneio nacional passaria então para os dias 28 de fevereiro e 7 de março. A já histórica temporada 2020 do Palmeiras terminará com 75 ou 77 jogos.

Abel destacou a importância do aspecto psicológico nessas partidas decisivas em que o nível de concentração tem de ser alto. "O Palmeiras é uma equipe extremamente competitiva. Procuramos sempre competir para ganhar. Precisamos estar muito fortes mentalmente, nesse tipo de decisão, são jogos que se definem muito pelo que está na sua cabeça", observou.

O português recebeu elogios do técnico Renato Gaúcho e retribuiu. Ele afirmou que o Grêmio não chegou a mais uma final por acaso e deu os parabéns pelo trabalho que o treinador mais longevo do futebol brasileiro vem fazendo no comando da equipe gaúcha.

"O Renato tem um trabalho extraordinário no Grêmio e não é por acaso. Quatro, cinco anos, com Copa, Libertadores, Recopa. É fruto de continuidade, acreditar no que faz, mas saber que o caminho está sendo bem feito. Parabéns pelo trabalho que vem sendo feito no Grêmio", elogiou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.