Yuri Kadobnov/AFP
Yuri Kadobnov/AFP

Gareca diz que seleção peruana não será coadjuvante na Copa-2018

Treinador, no entanto, não deve ter o seu principal jogador, o atacante Guerrero, suspenso por doping

Estadão Conteúdo

11 de dezembro de 2017 | 19h06

Apesar da difícil classificação - somente na repescagem das Eliminatórias -, a seleção do Peru não será coadjuvante na Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Se depender do técnico Ricardo Gareca, o time sul-americano terá postura ofensiva para dominar os jogos que disputar.

+ Zico defende Guerrero: 'Nada na atuação indicou qualquer alteração'

Apesar disso, Gareca reconheceu que o Peru não terá facilidade na fase de grupos, quando enfrentará a França, cabeça de chave, a Austrália e a Dinamarca. "O sorteio não foi realmente o ideal para mim. Mas todos os times classificados estão entre os melhores do mundo. Então teremos que estar muito bem preparados."

Gareca já avisou que a marca do Peru na Copa será a iniciativa e a ofensividade. "Para este time funcionar, a iniciativa e a necessidade de se impor em campo são as chaves. Quero que a equipe comande as suas partidas, independente de quem enfrente. E, deixando de lado qualquer questão mais tática, quero que a nossa seleção leve aos torcedores alegria, porque eles merecem", declarou o treinador.

No Grupo C do Mundial da Rússia, o time peruano estreará contra a Dinamarca, no dia 16 de junho, dois dias após a abertura da Copa. O segundo confronto está marcado para o dia 21, contra a França. E a despedida da fase de grupos será contra a Austrália, no dia 26.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.