Lavandeira Jr./EFE
Lavandeira Jr./EFE

Gareca vê Guerrero 100% fisicamente e promete Peru ofensivo contra a França

Técnico afirma que time sul-americano irá para o ataque após perder na estreia diante da Dinamarca

Estadão Conteúdo

20 Junho 2018 | 11h58

Passada a derrota na estreia para a Dinamarca, no último sábado, a seleção peruana mira o próximo confronto na Copa do Mundo da Rússia. Nesta quinta-feira, a equipe terá pela frente a França, uma das favoritas ao título. E mesmo entrando como franco-atirador, o técnico Ricardo Gareca prometeu um time bastante ofensivo em campo.

+ Peru faz treino de reconhecimento e mantém Tapia e Carrillo como dúvidas

+ Franceses pedem cuidado com seleção peruana e vêem duelo aberto

+ América do Sul vê domínio europeu na primeira rodada da Copa da Rússia

"O Peru vai para o ataque, como sempre faz. Estou há três anos e meio à frente da seleção e já se tem uma ideia do que é o Peru", declarou nesta quarta. "Podemos complicar qualquer seleção. Vamos tratar de nos impor e que a França nos dê o controle. Tentar desenvolver nosso jogo. A nossa intenção é vencer a partida."

O próprio Gareca, porém, reconheceu o favoritismo da França para o jogo e até para a disputa do título. "A França é candidata a tudo, por seus jogadores e porque se adapta a diferentes circunstâncias. Tem jogadores que podem aparecer em todas as circunstâncias, por isso é preciso ter cuidado e por isso é candidata. Temos isso claro e sabemos quem vamos enfrentar."

 

A seleção peruana precisa da vitória e pode ser eliminada da Copa já nesta quinta se for derrotada. Isso porque caiu na estreia para a Dinamarca, por 1 a 0, em um jogo no qual dominou boa parte das ações. E por mais que projete o duelo com a França, Gareca não esconde a dificuldade de assimilar o resultado da estreia, na qual os peruanos tiveram a chance de sair na frente, em pênalti desperdiçado pelo são-paulino Cueva.

"O pênalti foi uma fatalidade. Sempre pode acontecer. Mas logo depois da definição, vi uma grande atuação do goleiro da Dinamarca. Neste dia, tivemos que apelar para nosso lado inventivo, à pressão, e tivemos esta capacidade. Lamentavelmente, não pudemos concretizar", avaliou.

GUERRERO

Gareca também falou nesta quarta sobre Paolo Guerrero. O atacante do Flamengo começou no banco diante da Dinamarca e só foi colocado em campo depois que o adversário abriu o placar. O treinador fez questão de acabar com qualquer rumor sobre uma possível lesão e explicou que tratou-se de uma opção dele.

"Fisicamente, Paolo Guerrero está bem. Ter ficado na reserva foi uma decisão minha, por ter sido o último jogador a somar-se ao elenco. Em todos os aspectos, está muito bem", afirmou. "O mais importante do Peru é a equipe. Viemos para cá como uma equipe, independente dos jogadores que temos. E acreditamos que é o que vai nos sustentar e nos dar opções na Copa."

Gareca não confirmou se Guerrero será titular contra a França e também manteve o mistério sobre Renato Tapia e André Carrillo, que têm problemas físicos e não treinaram com o grupo nesta quarta. "No caso de Tapia e Carrillo, teremos que esperar até o último momento e só aí decidiremos", limitou-se a dizer.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.