Garoto seqüestrado vai ao Real Madrid

A história do garoto colombiano Dagoberto Ospina, de 9 anos, seqüestrado por 281 dias pelo grupo guerrilheiro ?Jaime Bateman Cayón?, poderia ser contada pelo maior escritor daquele país, o jornalista Gabriel Garcia Márquez. Após a sua libertação, há cerca de um mês, Ospina revelou como seu maior sonho conhecer pessoalmente os jogadores do Real Madrid, da Espanha. E seu desejo será atendido.Depois de mais de nove meses em poder dos seqüestradores, Ospina e a família deixaram a Colômbia e se mudaram para Miami, nos Estados Unidos. Nesta semana, o diretor esportivo do clube espanhol, Jorge Valdano, decidiu pedir ao presidente da entidade, Florentino Pérez, para convidar Dagoberto a assistir uma partida no estádio Santiago Bernabéu. A comoção foi geral no clube espanhol depois dos dirigentes verem uma fotografia do menino com a camisa 7, do atacante Raúl González, no dia de sua libertação. O jogador foi informado e muito contente prometeu presentear o garoto com a camisa oficial da equipe.Nesta quinta-feira, o pai de Ospina recebeu a notícia em sua casa e comemorou muito junto ao filho. ?Isto é como um sonho, não posso acreditar. É como um pressente de Deus?, disse. Ele vai completar as documentações necessárias para viajar à Espanha e assim realizar um sonho que, ironicamente, nasceu da tragédia de seu seqüestro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.