Garotos buscam fama na Copa SP Jr.

O sonho de vestir a camisa de um grande clube, de chegar à seleção brasileira e de brilhar nos gramados do exterior começa nesta terça para 2.200 garotos inscritos para a 36.ª Copa São Paulo de Juniores. A competição, que ao longo dos anos revelou muitos craques, se transformou num torneio envolto em interesses políticos e, por isso, terá número recorde de participantes: 88 clubes, representando todos os Estados brasileiros.Apesar do inchaço que se repete nos últimos anos, a hegemonia segue com os clubes paulistas. Este ano, o Corinthians tenta seu sexto título, o segundo seguido, usando 80% da base campeã no ano passado, incluindo jogadores como Elton e Abuda, que fizeram parte do elenco profissional em 2004. O Santos segue a estratégia, com nove já promovidos ao time principal, entre eles o zagueiro Domingos, titular em grande parte do Brasileirão. O São Paulo, por sua vez, aposta em revelações ainda desconhecidas e deu férias a atletas que poderia usar, como Diego Tardelli e Fábio Santos. O Palmeiras, que jamais venceu a Copinha, inscreveu duas equipes.Com relação ao inchaço, a Federação Paulista de Futebol aumentou o número de clubes - eram 80 em 2004 - para atender a pedidos de políticos, federações e de clubes de todo o Brasil. Solicitações de clubes estrangeiros, como da Argentina, Uruguai e Japão, foram rejeitadas. "Se quiséssemos, faríamos a competição com mais de 200 times", diz o presidente da FPF, Marco Polo del Nero. "Mas é irracional. O período de realização é muito curto."A disputa será em seis fases. Os 88 times estão divididos em 22 grupos, espalhados por 19 cidades. Os campeões de cada chave e os 10 melhores segundos colocados avançam. A partir daí, duelos em mata-mata definem os finalistas, que fazem a decisão, como de costume, no Pacaembu, no dia 25, aniversário de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.