Garotos campeões provam valor da base

O título também é da molecada do Parque São Jorge. O zagueiro Betão, que não jogou neste domingo por estar suspenso, fez questão de ressaltar o bom trabalho das categorias de base do Corinthians, responsável pela formação da maioria dos atletas que integraram o elenco no Brasileiro. "Este título é nosso, da molecada, dos jovens que foram lançados no time principal e deram conta do recado. Formamos 90% deste time", disse o beque, que dividiu com Tevez a braçadeira de capitão. Betão não é nenhum craque, longe disso, mas incorpora a gana e a raça que sempre nortearam os jogadores do Timão.A lista dos meninos do Parque é grande: Wendel, Bruno Octávio, Coelho ? que nas duas últimas partidas marcou dois gols de falta, muito parecidos e que vai se tornando um exímio cobrador ?, Eduardo Ratinho, Rosinei, Élton, Dinélson, Bobô, Jô. "E todos com sua participação ao longo da temporada", lembrou Betão. "Falaram de brigas no elenco, de mala preta, de ajuda, mas ganhamos o título em campo, rodada a rodada." Rosinei era um dos mais emocionados com a conquista. Não parava de chorar no gramado, abraçado pelos companheiros e por torcedores. O garoto pobre e magrinho de Cruzeiro, Interior de São Paulo, que tem nove irmãos, deu certo na vida. Deu certo no futebol. "Não consigo parar de pensar na minha família, na minha mulher e na minha filha de dois anos, que sempre me apoiaram e que hoje estão comigo em São Paulo. Mas principalmente na minha mãe e nos meus irmãos. É muita emoção, cara!", contou em lágrimas, já sem camisa. Rosinei chorou e contagiou os companheiros, como Jô.O atacante afirmou em Goiânia que a derrota para o Goiás foi sua última partida com a camisa do Corinthians. Vendido a um grupo de empresários de Portugal por R$ 12 milhões, Jô contou que se apresenta no CSKA no dia 7 de janeiro. Não se sabe ainda se ele será recebido pelo atacante Vágner Love, do mesmo clube mas com chance para atuar na Inglaterra ou mesmo de voltar ao Brasil. "Fico feliz por ter participado desta campanha vencedora do Corinthians. Estou vendido e fomos campeões em minha última partida. Dia 7 de janeiro eu chego na Rússia."Explicação - O zagueiro Marinho fez questão de explicar a derrota, antes mesmo de festejar a conquista. "Acho que por saber da derrota do Inter no Paraná o time relaxou no segundo tempo e permitiu a recuperação do Goiás. Mas este tropeço não tira a magia da nossa conquista, nem os nossos méritos."

Agencia Estado,

04 de dezembro de 2005 | 20h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.