Garotos do Brasil na mira dos agentes

O Brasil busca no domingo seu quarto título mundial Sub-17. A decisão será contra o México, às 20 horas, em Lima, no Peru. Os meias Anderson (Grêmio) e Ramon (Atlético-MG), apontados pela Fifa como grandes promessas do torneio, já foram negociados com clubes europeus. Caminho natural de pelo menos 50% dos garotos da Seleção Brasileira.Campeão em 1997, 1999 e 2003, o Brasil foi vice em 1995 derrotado por Gana na final. Dos três títulos conquistados, pouco sobrou das seleções de garotos. Apenas Ronaldinho Gaúcho, em 97, e Adriano, em 99, conseguiram se firmar na seleção principal.Nesta sua quinta decisão do Mundial Sub-17, o Brasil aposta em Ramon e Anderson. Ramon tem quatro gols ? mesmo número de Igor, atacante do Corinthians ? e Anderson, dois. Ramon e Igor disputam a artilharia com Carlos Vela, do México, e os turcos Kose e Erkin ? Turquia e Holanda também jogam no domingo na disputa pelo terceiro lugar.Artilheiros ou não do torneio, Ramon e Anderson não devem jogar no Brasil em 2006. Revelado no Grêmio, o meia Anderson, 17 anos, já foi vendido ao Porto, que tem 70% dos seus direitos. O garoto esteve em Portugal, passou três meses no clube, e foi emprestado ao Grêmio até o final do ano. E os gaúchos contam com o seu retorno, já na terça-feira, para o difícil jogo contra o Santa Cruz, em Recife, pela segunda fase da Série B do Brasileirão.?Ele desembarca no Rio e deve seguir direto para Recife. Contamos com o Anderson?, disse Mano Menezes, técnico do Grêmio.A história de Ramon não é muito diferente. Revelado no Atlético-MG, o meia de 17 anos seria a grande arma do time no Campeonato Brasileiro. No jogo contra o Flamengo, dia 3 de julho, ele agrediu Robson e pegou um gancho de 180 no STJD. A pena foi reduzida para 120 dias. O Atlético-MG apelou e conseguiu diminuir para 80 dias.Ramon deve retornar ao time mineiro na segunda semana de outubro. Joga até o final do Brasileirão e depois se transfere para o Braga, de Portugal. Ramon entrou no pacote com Quirino e Renato, negociados ao Gestfute, um grupo europeu de empresários, por 4,5 milhões de euros (R$12,1 milhões). Ricardo Guimarães, presidente do Atlético, garante que Renato e Quirino não foram negociados neste pacote.Outros garotos da Seleção Brasileira Sub-17 que agradaram observadores de clubes europeus: o lateral-direito Leyrielton (Goiás), o atacante Igor (Corinthians) e o volante Roberto (Guarani).Neste domingo, as tribunas do Estádio Nacional de Lima receberão dezenas de observadores de clubes e empresários. Do México, dois garotos despertam atenção dos agentes: os atacantes Giovani dos Santos e Carlos Vela, ambos com 16 anos. Giovani já estaria negociado com o Barcelona por US$ 3 milhões (R$ 6,7 milhões) e Vela cotado a US$ 2 milhões (R$ 5,6 milhões).Sobre a decisão do Mundial no domingo, o técnico do Brasil, Nelson Rodrigues, falou o óbvio. ?O México tem uma equipe respeitável, com excelente jogadores.? Jesús Ramírez, treinador da seleção mexicana, pelo menos foi mais original. ?Desde que chegamos ao Peru, estamos convencidos de que podemos ganhar o título e essa mentalidade vencedora foi o segredo do nosso sucesso até aqui.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.