Reprodução/ Instragram
Reprodução/ Instragram

Garotos relatam como foi treinar com a seleção: 'Só jogava com eles no vídeo game'

Jogadores da base do Corinthians destacam força coletiva do grupo brasileiro como principal qualidade para derrotar a argentina de Messi

João Prata, O Estado de S.Paulo

02 de julho de 2019 | 11h00

A seleção brasileira enfrenta a Argentina nesta terça-feira, às 21h30, no estádio do Mineirão, em um clássico que vale vaga na final da Copa América. Para compreender um pouco como está o clima entre os jogadores e a expectativa para esse grande duelo, o Estado conversou com garotos que estiveram ao lado desse grupo durante o torneio.

Na passagem pela cidade de São Paulo, o Brasil treinou com 14 jogadores das categorias de base do Corinthians. Os jovens do sub-20 alvinegro tiveram a oportunidade de realizar o sonho de trabalhar com a seleção principal, de ouvir conselhos de Tite e, claro, de estar ao lado de seus ídolos da modalidade. "Experiência que vou levar para a vida. Só jogava com esses caras no vídeo game", disse o atacante Nathan que participou de uma atividade.

Os meninos da base também comentaram um pouco sobre os bastidores da seleção que está na luta pela nona taça da Copa América. Pelo olhar deles, os problemas vistos durante o torneio passaram ao longe. Ninguém citou a ausência de Neymar, também não houve queixa sobre a má qualidade dos gramados ou sobre as vaias nas arquibancadas. 

Eles estavam mais preocupados em reparar como era a relação entre os atletas, de observar as brincadeiras antes da atividade e, claro, de não fazer feio com a bola rolando. "Os caras são muito qualificados mesmo. Muito difícil ter algum erro durante a atividade. Tem que estar muito concentrado porque os caras não erram", comentou o volante Xavier. 

FORÇA DO COLETIVO

O volante Eduardo Queiroz foi um dos que mais conseguiu treinar junto com a seleção brasileira. Enquanto a maioria dos companheiros participou somente de uma atividade, ele deu sorte e esteve sob o comando de Tite em três oportunidades - duas vezes no estádio do Pacaembu e uma outra no CT do São Paulo. Além de ficar deslumbrado com a chance de marcar craques do Barcelona, Manchester City e Real Madrid, o jogador destacou a boa relação do elenco. "Do hotel até a chegada ao estádio você vê que estão todos felizes. Creio que vão para mais uma final de Copa América."

Para Xavier, esse clima de harmonia entre os atletas talvez seja o segredo para eliminar a Argentina e seguir em busca do título. "Senti que é um grupo muito unido, fechado entre eles. Tem muita brincadeira fora do treino e muito respeito pelo Tite. A união é muito grande e isso faz ganhar campeonato. Na minha opinião, o Brasil passa da Argentina por essa qualidade do grupo e essa união. A Argentina tem o Messi, mas o Brasil é superior ao time deles pelo conjunto."

FINAL ANTECIPADA

O bom relacionamento dos comandados de Tite também foi notado pelo zagueiro Léo Paraíso. "O que vi de legal foi nos bastidores. A forma como fui bem tratado me chamou a atenção. Isso sem contar o nível técnico e profissional, claro", disse.  

Nathan acredita que quem passar desse confronto fica com a taça. "É uma final antecipada. Acho que vai ser decidido no detalhe e tenho confiança que vai dar Brasil", analisou. O zagueiro Léo Paraíso também se surpreendeu com a experiência. "Foi a maior experiência que tive, a realização de um sonho. As dificuldades foram acompanhar o nível técnico e profissional. O que vi de legal foi nos bastidores. A forma como fui tratado me chamou a atenção", finalizou.

Confira o depoimento na íntegra dos quatro jogadores da base do Corinthians:

Nathan, atacante 

Experiência que vou levar para a vida toda. Só jogava com esses caras no vídeo game, via na televisão. Foi um sonho realizado. Jogo muito difícil. Pode-se dizer que é uma final antecipada. Acho que vai ser decidido no detalhe e tenho confiança que vai dar Brasil.

Eduardo Queiroz, volante

Sensação inenarrável. Muito feliz com a possibilidade. Ajuda a crescer como homem e como atleta. Fiquei muito feliz. Não é todo dia que você fica ao lado de craques. Lá eles erram muito pouco. A gente se dedica para agarrar essa oportunidade. Jogo bom, duas seleções potências no futebol. Espero que o Brasil saia vitorioso. Pelo clima do vestiário, eles merecem. A seleção está unida. Do hotel até a chegada ao estádio estão todos felizes. Creio que vão para mais uma final de Copa América.

Xavier, volante

Experiência incrível. Oportunidade de treinar com os caras que representam o Brasil. Jogo vídeo game com eles. Os caras são muito qualificados mesmo. Muito difícil ter algum erro. Tem que estar muito concentrado porque os caras não erram. Senti que é um grupo muito unido, fechado entre eles. Tem muita brincadeira fora do treino e muito respeito pelo Tite. A união é muito grande e isso faz ganhar campeonato. O Brasil passa da Argentina por essa qualidade do grupo e essa união. A Argentina tem o Messi, mas o Brasil é superior ao time deles.

Léo Paraíso, zagueiro

Foi a maior experiência que tive, a realização de um sonho. As dificuldades foram acompanhar o nível técnico e profissional. O que vi de legal foi nos bastidores. A forma como fui tratado me chamou a atenção. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.