Giuseppe Cacace/AFP
Giuseppe Cacace/AFP

Gattuso, técnico do Milan, rasga elogios a CR7: 'Máquina perfeita'

Equipe de Milão encara a Juventus nesta quarta-feira na decisão da Supercopa da Itália

Redação, Estadão Conteúdo

15 de janeiro de 2019 | 18h54

Na véspera da decisão da Supercopa da Itália, entre Milan e Juventus, o técnico milanês Gennaro Gattuso se rendeu, nesta terça-feira, ao poder ofensivo do português Cristiano Ronaldo, líder de seu rival, a quem definiu como uma "máquina perfeita", que não diminuiu seu rendimento apesar da passagem do tempo.

"Cristiano se transformou em um jogador incrível nos últimos seis, sete anos, porque nos primeiros anos, quando o enfrentei por várias vezes, fazia um 'show'", disse Gattuso, durante a entrevista coletiva em Jeddah, na Arábia Saudita.

"Agora parou de fazer o 'show'. Tudo que faz, faz com determinação. Dispara em direção ao gol, quer marcar, faz as coisas para causar dano. É uma máquina perfeita, envelhece e continua sendo cada vez mais forte. Parece que os anos não passam para Cristiano."

Gattuso, que ganhou tudo como jogador do Milan e também se sagrou campeão da Copa do Mundo de 2006 pela seleção italiana, foi várias vezes adversário de Cristiano Ronaldo na Liga dos Campeões, quando o astro atuava pelo Manchester United.

"A idade não importa. Isso faz a gente entender o quanto ele é profissional e o motivo pelo qual se tornou campeão nos últimos sete, oito anos", disse o técnico do Milan, referindo-se ao atleta, que completa 34 anos no próximo dia 5.

Sobre sua equipe, Gattuso revelou que tentou passar para o grupo a importância de ganhar títulos para um time grande como o Milan. "Eles precisam entender que sempre é importante fazer mais e melhor." Segundo o técnico, o brasileiro Lucas Paquetá tem grandes chances de iniciar a partida.

A Supercopa da Itália vai ser disputada pela décima vez fora da Itália. A partida foi jogada nos Estados Unidos (1993 e 2003), quatro na China (2009, 2011, 2012 e 2015), uma vez na Líbia (2002) e duas no Catar (2014 e 2016).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.