Antonio Calanni/AP
Antonio Calanni/AP

Gattuso vê Milan em baixa, mas descarta se demitir: 'Sou o último dos problemas'

Com um mês de trabalho, treinador disputou seis jogos e ganhou apenas dois

Redação, Estadão Conteúdo

24 de dezembro de 2017 | 12h30

Menos de um mês depois de ser anunciado como novo técnico do Milan, Gennaro Gattuso já lida com intensa pressão. Em seis partidas no comando, venceu apenas duas vezes e acumulou a terceira derrota no último sábado, ao cair diante da Atalanta por 2 a 0, mesmo atuando em casa. O próprio treinador reconheceu a má fase atravessada pelo time milanês, mas descartou pedir demissão.

+ Técnico do Valencia sofre acidente de carro ao se chocar com um javali

+ 'Em títulos, foi o melhor ano da nossa história', diz presidente do Real

"Me demitir? Se eu achasse que eu era o problema, se visse que os jogadores não estão me seguindo... Mas estamos famintos!", declarou. "Estamos sempre tendo que explicar as más atuações, acumulando erros. Em momentos de dificuldade, não estamos sabendo reagir, e isso é um fato."

Gattuso considerou que o principal problema do Milan no momento é psicológico. Afinal, o clube vem de um longo período em baixa, longe da briga por títulos. Por isso, garantiu que segue no comando da equipe.

"Hoje, sou o técnico do Milan, mas o último dos problemas. O problema não é apenas nossa condição, mas o componente mental. O que estamos fazendo não é suficiente, precisamos nos tornar um time e cometer menos erros, porque estamos errando muito. Precisamos parar de nos comparar com o passado", disse.

E o treinador também viu pontos positivos na atuação da equipe nas últimas partidas. "Muitas coisas funcionaram, no começo da partida estamos jogando bem. Mas vamos ladeira abaixo depois, não estamos sabendo nos manter."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.