Gaúchos preparam festa colorida

Apesar de alegres com a presença da seleção, os gaúchos não repetem o entusiasmo de 2001, quando o Brasil também enfrentou o Paraguai em Porto Alegre pelas eliminatórias da Copa de 2002. Mesmo assim, a festa será colorida. As ruas por onde os craques brasileiros passarão até o Beira-Rio já estão com meios-fios pintados de verde e amarelo. E quase todos os 45 mil torcedores que irão ao estádio ganharam bandeiras e camisas de empresas que aproveitaram a ocasião para divulgar suas marcas. A maior parte dos ingressos está esgotada desde quinta-feira. Neste sábado, os retardatários disputarão as últimos 900 vagas para as arquibancadas superiores, ao preço de R$ 70 cada. Os torcedores reclamaram dos preços. Um deles, o analista de sistemas Luiz Henrique Gedelink, diz que desistiu de ver o jogo quando soube que teria de pagar pelo menos R$ 50 por um lugar na geral. "Em 2001 o jogo era mais decisivo e o preço era de R$ 20", lembra. O raciocínio do representante comercial Maurício Caldas é semelhante, mas ele irá ao jogo graças a uma promoção de uma empresa de telefonia móvel. Ganhou o ingresso por ter comprado um celular nesta semana. Apesar disso, está frustrado. "O Ronaldo deveria jogar", lamenta. Outros torcedores estão motivados com a presença de dois gaúchos no time, o volante Emerson e o meia Ronaldinho, formados pelo Grêmio. "Eles vão acabar com os paraguaios", previa o bancário José Luiz Mendes enquanto comprava seu ingresso numa loja de aparelhos eletrônicos do centro de Porto Alegre. Quem não vai ver o jogo pode prestigiar a seleção neste sábado. Uma rede de supermercados oferece ingressos para o treino mediante entrega de dois quilos de alimentos não perecíveis para uma campanha assistencial. O entusiasmo menor que o de 2001 é justificável. Naquele ano, o Brasil estava mal na classificação e dependia de uma vitória para seguir sonhando com a Copa do Mundo. O técnico Luiz Felipe Scolari tratou de motivar e incendiar a torcida, que incentivou o time como numa decisão. Agora a situação é diferente. O Brasil está bem classificado e só deixa de ir à Copa se perder diversas partidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.