Reuters
Reuters

Gaviões entra em confronto com PM no Itaquerão

Torcida do Corinthians pega no pé de Fernando Capez e cobra clube sobre contas do estádio

O Estado de S. Paulo

17 de março de 2016 | 10h50

Parte dos 42 mil torcedores do Corinthians que estiveram nesta quarta-feira no Itaquerão voltaram a se manifestar contra o presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Capez, que fez sua carreira política defendendo a bandeira, quando promotor, do combate à violência nos estádios. Membros da uniformizada corintiana Gavieõs da Fiel protestaram no estádio  até o confronto com policiais depois da vitória de 2 a 0 sobre o Cerro Porteño, pela Libertadores. O descontentamento não é de hoje. As manifestações, de acordo com a torcida, vai continuar. 

Capez sempre tentou combater as torcidas organizadas, apontando todas elas de São Paulo como estopim das confusões no futebol. Agora, Capez é investigado na Operação Alba Branca, que apura desvios de dinheiro da merenda escolar. Nada foi provado contra ele.

O fato é que a Gaviões pega no pé do ex-promotor e aproveita a onda de manifestações no Brasil contra o governo de Dilma Roussef para também protestar no futebol. Cartazes contra Capez foram erguidos no Itaquerão. A torcida também pediu explicações para a diretoria do Corinthians sobre as contas do estádio e suas receitas. Depois do jogo, enquanto os repórteres entrevistavam os jogadores, houve confronto de torcedores e policiais no setor norte da aquibancada. Ninguém se feriu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.