Geninho: campeão pode sair na Justiça

O campeão paulista de 2003 pode não sair no sábado, dentro de campo, mas na Justiça. A afirmação é do técnico do Corinthians, Geninho. Haverá amanhã, ao meio-dia, reunião do Comitê Executivo da Federação Paulista de Futebol (FPF), na sede da entidade, para que se defina qual dos finalistas ficará com a vantagem na final. Mesmo que tudo seja decidido neste encontro e as equipes saibam o que precisarão fazer para ficar com o título, um dos clubes pode se considerar injustiçado e apelar para o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), de acordo com o comandante corintiano, que, além de treinador, é advogado. As possibilidades de que isso aconteça são consideráveis, porque dirigentes, jogadores e comissão técnica dos dois clubes acreditam ter a vantagem. Caso o Corinthians saia como "vencedor" da reunião, poderá até perder por um gol de diferença para levantar a taça. Se for o perdedor, precisará de um empate. O volante Vampeta voltou a declarar, hoje, que, se o São Paulo ganhar a partida por um gol, vai carregar o troféu, independentemente do que ocorra na reunião da FPF. "Está escrito, o regulamento diz que a vantagem é do Corinthians", declarou o atleta, que pressiona a diretoria para não desistir de lutar pela vantagem. "É preciso matar o São Paulo de todos os jeitos, não podemos dar chances, o ditado diz que a cobra se mata pela cabeça." O elenco, que se reapresentou na tarde de hoje, demonstrou confiança e bastante tranqüilidade. Geninho considera o ambiente tão bom que, em nenhum momento, pensou em tirar o grupo da capital, como fez o São Paulo, que viajou para Extrema, no sul de Minas Gerais. A única medida tomada será a de levar a delegação para a concentração dois dias antes do confronto final e não apenas um, como de costume. A motivação também é grande por parte dos torcedores, que já esgotaram os ingressos de arquibancadas superiores destinadas aos corintianos. Mistério - O treinador ainda não definiu o substituto do atacante Leandro, suspenso. Renato e Fumagalli são os favoritos, mas o volante Fabrício também aparece com chances. Nesse caso, o time atuaria com três jogadores de marcação no meio-de-campo e apenas um atacante, como na partida contra o Fénix, no Uruguai, pela Taça Libertadores da América.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.