Geninho cobra dívida do Corinthians

O técnico do Goiás, Geninho, mostrou hoje que não tem receio em provocar brigas contra o Corinthians. O treinador, adversário de domingo do time paulista, foi claro ao afirmar que o incentivo financeiro do Internacional para a equipe goiana vencer o confronto, é algo normal e vigente no futebol desde a época em que era goleiro. E, incisivo, atacou: ?eles estão reclamando da mala preta do Inter, mas deviam era se lembrar de pagar o que me devem. Um caminhão de dinheiro? ? relativo ao período em que treinou a equipe do Parque São Jorge, em 2003. De acordo com Geninho, a ?mala preta? do Internacional para a equipe goiana, que precisa superar o Coritiba e torcer por uma goleada do Goiás sobre o Corinthians, pela última rodada do Campeonato Brasileiro, não é anti-ética porque está incentivando os jogadores a vencerem. Ressaltou que somente condenaria a prática se fosse para o time fazer ?corpo-mole?. Geninho ainda destacou ter a certeza de que o Internacional mandará dinheiro para os atletas goianos, apesar de negar a atitude até hoje. Argumentou ser uma prática antiga, desde do tempo em que atuava como goleiro. Mas, frisou que este é o tipo de transação não envolve diretamente os dirigentes, sendo o acordo celebrado entre os jogadores de ambos os clubes. ?Todo mundo sabe que isso acontece. E começou quando eu era jogador. O dirigente, que não quer aparecer, pede a seu capitão para entrar em contato com o jogador do outro clube e tudo é acertado?, disse Geninho, que participou hoje no Rio do 2º Fórum Internacional de Futebol. Em seguida, voltou a atacar os dirigentes corintianos. ?Eles estão falando da mala preta do Internacional e, com certeza, também não vão arriscar. Negarão até morrer, mas os dirigentes do Corinthians mandarão dinheiro para o Coritiba sim!? Na tentativa de demonstrar o seu entusiasmo e confiança em uma vitória do Goiás, domingo, Geninho relatou uma conversa com o preparador-físico do Internacional, Paulo Paixão, que também participou do Fórum de Futebol. ?Falei para eles fazerem o deles, que faremos o nosso?, contou. E finalizou ressaltando que nenhum esquema tático especial será montado para o confronto e os jogadores corintianos não receberão marcação individual.

Agencia Estado,

01 de dezembro de 2005 | 18h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.