Geninho fica à deriva no Santos

A pouco mais de um mês da estréia do Santos no Campeonato Brasileiro, prevista para o próximo dia 2 de agosto, o técnico Geninho ainda não tem idéia do time que deverá colocar em campo na competição. A diretoria do clube prometeu para esta sexta-feira a definição da permanência de dois jogadores considerados importantes para o esquema tático do treinador: o volante Freddy Rincón e o atacante Deivid. "Não me envolvo em negociação ou dinheiro, que são coisas que devem ficar por conta da diretoria, mas de antemão deixo claro que, na saída de Rincón, tem de haver uma reposição no mesmo nível, com um matador para auxiliar no ataque", frisou, antecipando que será difícil o Santos encontrar um substituto à altura do volante. "No momento, não vejo ninguém que reúna qualidades como a liderança que ele exerce no time e, tampouco com a mesma disposição em campo", sentencia.Geninho acredita que a dificuldade do Santos em formar sua equipe para o segundo semestre é a mesma de outros clubes. "Ninguém está comprando ninguém até agora", avaliou, e acredita que até o final da primeira quinzena de julho a situação começa a se definir em todos os clubes. Depois da reapresentação, na quarta-feira, o elenco voltou a treinar nesta quinta-feira, no CT Rei Pelé. A novidade ficou por conta da apresentação do quarto-zagueiro Orestes, emprestado da Portuguesa Santista, que permanecerá por seis meses na Vila Belmiro. O jogador, que tem 20 anos, já atuou nas equipes infantil e juvenil do próprio Santos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.