Geninho: motivação é a arma do Goiás

"Esse é um jogo em que todo atleta do Goiás vai querer se esforçar ao máximo. Não posso prometer vitória, mas sei que vamos fazer uma grande apresentação". A declaração do técnico Geninho, dada hoje em entrevista ao canal de televisão local, TV Anhanguera, é para deixar os corintianos assustados. "O Brasil e o mundo todo estarão vendo essa partida, é a chance da maior parte dos jogadores aparecerem para o mundo e ganharem projeção", explicou o treinador. Geninho ainda tem dúvidas sobre o time que deve colocar em campo domingo, no Serra Dourada, diante do Corinthians. Não terá os zagueiros André Silva, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e Júlio Santos, que cumpre punição imposta pelo STJD. O mais provável é a opção pelo reserva Aldo e pelo volante Rafael Dias, improvisado na defesa. Independentemente de quem for jogar, o técnico acha que será um dia de festa em Goiânia. ?É a hora de comemorarmos a campanha realizada este ano, com a classificação para a Libertadores e com o bom futebol apresentado neste Brasileiro. Contamos com a torcida nos incentivando no estádio.? A confiança também se estende aos atletas. O atacante Dodô diz se sentir motivado para enfrentar mais uma vez o Corinthians. ?Todo mundo gosta de jogar contra eles, marcar gol, então, seria ótimo.? Seu companheiro de ataque, Souza, acha que o time pode ganhar a partida se conseguir aproveitar o nervosismo dos líderes. ?A gente não tem preocupação nenhuma, eles é que vão estar ansiosos?, disse o artilheiro da equipe na competição, com 17 gols. Geninho prorrogou seu contrato com o clube até o fim de 2006 e faz planos ainda mais ousados para o próximo ano. ?Nós não vamos entrar na Libertadores apenas para disputar a primeira fase, tenho certeza disso.? Não o preocupa sequer a provável saída de algumas das estrelas do elenco, como Dodô (pretende voltar para o exterior), Paulo Baier (tem proposta do Palmeiras e do futebol japonês) e Rodrigo Tabata (sondado por clubes brasileiros). ?O que eu sei é que a diretoria se prontificou a não só trazer reforços de peso como a substituir à altura qualquer atleta que perdermos?, afirmou o treinador. Se tem algo que o aborrece é o fato de acreditar que o Goiás, domingo contra o Corinthians, poderia não ser apenas um coadjuvante, mas sim estar disputando o título. ?Nós perdemos pontos importantes em partidas que não podíamos ter perdido. Tivemos contratempos como contusões, suspensões, enfim, coisas que nos impossibilitaram de estar melhor ainda na tabela?, analisou. O Goiás, terceiro colocado na classificação geral do Brasileiro, com 71 pontos ? 21 vitórias, 8 empates e 12 derrotas ?, não pode mais ser ultrapassado pelo Fluminense. O time carioca tem três pontos a menos e duas vitórias de desvantagem.

Agencia Estado,

02 de dezembro de 2005 | 15h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.